O turbante é um símbolo cultural, que está na moda e esbanja estilo. O significado deste adorno tão especial para a cultura africana diz muito sobre o processo de formação da nossa própria cultura. Conhecer as origens culturais do turbante através do tempo e discutir a apropriação cultural deste elemento tão rico é também uma forma de reconhecer e valorizar a nossa identidade afro-brasileira.

turbanteEm alta na moda atualmente, o turbante é visto pela maioria das pessoas como um acessório estético que serve para adornar a cabeça e demonstrar charme, estilo e beleza. Ele é visto como algo que “está” na moda. E muita gente o usa somente por isso. Mas o turbante é um elemento cultural, que está associado principalmente às culturas asiática, africana e brasileira.

No Brasil, o uso do turbante foi introduzido pelos negros vindos da África através do tráfico de escravos. As mucamas usavam saias, blusas leves e soltas, panos e xales nas costas e turbantes nas cabeças. Os tecidos podiam ser coloridos ou não. As roupas não eram muito diferentes dos costumes usados no país de origem, mas pela condição de escravo, o vestuário era limitado. Entretanto, os costumes e vestimentas africanos eram reproduzidos no Brasil, distinguindo e afirmando a identidade cultural negra.

O uso de turbantes no Brasil é muito comum no Estado da Bahia, em Salvador, cidade do mundo fora da África que tem uma forte tradição da cultura negra, devido a grande quantidade de escravos africanos que foram trazidos para o país. As culturas Hausa e Yourubá trouxeram seus costumes e cultos que foram amplamente introduzidos e misturados ao caldeirão cultural brasileiro.

img-20161126-wa0072

No Brasil, ainda precisamos lutar muito pela valorização da cultura negra, ainda que tenhamos um país majoritariamente de negros e afrodescendentes. Enquanto o preconceito racial sobreviver por aqui, seja pela falta de autoaceitação, ignorância e intolerância, é preciso reafirmar, cultivar e promover nossas origens culturais como um ato político, antes de tudo e aceitar que todo brasileiro tem sim um pezinho lá. E que todo tipo de pré-conceito ou discriminação é feio.

No Brasil, especialmente, somos afrodescendentes da cabeça aos pés, seja na comida, na música, na dança, nos costumes, no vocabulário ou na moda. O turbante está aí para mostrar o quanto nos cai bem este acessório exuberante, simples, chique, moderno, tradicional, descolado e glamoroso.

Veja um vídeo com Márcia falando mais sobre o turbante.

Deixe seu comentário