A Polícia Civil de Guarapari, por meio da Delegacia de Infrações Penais do município (DIPO), prendeu preventivamente nesta sexta feira, o motorista de van escolar A.S.S. de 36 anos, suspeito de estupro vulnerável.

2014-05-30 20.34.57
A.S.S. de 36 anos, suspeito de estupro vulnerável de dois adolescentes.

O homem foi detido no final da tarde de ontem (30), no bairro Adalberto Simon Nader, em Guarapari, após fazer o horário do transporte escolar. De acordo com a polícia, ele pagava para as crianças manterem relações sexuais com ele. Mas em conversa com o suspeito, ele negou o caso. “Eles faziam lotação da minha van com autorização dos pais. Eu pagava 20 reais por dia, e quando eles ficavam até as 11h, pagava 40 reais, para eles abrirem a porta da van escolar”, explica ele.

pedofilia
Os dois adolescentes que ajudavam na van escolar.

A.S.S. disse que um dos meninos são homossexuais. “Um dia eu parei pra lanchar, e quando voltei, eles estavam um engatado no outro, fazendo besteiras. Ai eu chamei atenção deles e disse que contaria para a mãe deles. Foi quando eles disseram, que se eu contasse, iriam dizer que eu também estaria participando”, desabafa o motorista escolar, que completou, “por causa disso, eu acabei dizendo, que os dois poderiam até continuar trabalhando, mas cada dia iria um”.

Ele ainda conta que já chegou a perder um aluno da van por causa disso. “O pai tirou a criança, porque um dos adolescentes agarrou o filho dele”. E depois de todos esses problemas, “há duas semanas, a mãe de um deles me chamou e fui conversar com ela, que me acusou, dizendo que eu estava abusando do filho dela. Ela disse que ia mandar os vagabundos colocar fogo na minha casa”,

“Até meu filho de sete anos já foi abusado por um deles. Ele me contou que o menino pegou nas partes intimas dele”.

O motorista escolar foi diácono da igreja Marata por 13 anos. Já que ontem (30) o pastor o chamou e excluiu ele da igreja. “Minha maior defesa é o Senhor. Moro há 25 anos no bairro Adalberto Simon Nader. Trabalho com transporte escolar há sete anos e hoje eu tenho 52 crianças no meu carro, sendo a maioria adolescente. E os dois estão contando que tiveram relações sexuais comigo. E chegaram a dizer que um já me pegou três vezes e o outro cinco. Como a delegada tem coragem de mandar me prender, sem fazer o exame de corpo e delito para comprovar que eu fui abusado,” indaga ele.

mercedes_benz_sprinter_2_2_415_cdi_van_16_lugares_teto_alto_16v_bi_turbo_diesel_manual_2013_branco_99725038928872831O motorista escolar ainda completa, “eu só errei em não ter comunicado esses pais, desde o começo, e agora quem se saiu como o estuprador foi eu. Já que eles disseram que eu fui estuprado”.

A solução do caso foi rápida, visto que o caso chegou ao conhecimento da delegada Ana Carolina Brandão, responsável pela Dipo, a menos de quinze dias. Segundo a ocorrência, foi entregue a delegada, conversas entre o suspeito e dois adolescentes de 14 e 15 anos.

A delegada ouviu testemunhas e entrou com o pedido de prisão, e a juíza Patrícia Farone da 2ª Vara Criminal, decretou prisão preventiva ao motorista de van escolar. Se condenado, A.S.S. vai responder por estupro vulnerável, de acordo com o art. 217 do Código Penal. Art. 217-A. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos. E pode levar de 8 a 15 anos de prisão. Na manhã de hoje (31) ele foi encaminhado ao centro de triagem de Viana, e vai ficar em cela separada, até o julgamento.

Deixe seu comentário