O orçamento 2019 no valor de R$ 396.796.711, 53 foi publicado no Diário Oficial, nesta terça-feira (05), e deve ser executado pela prefeitura. O presidente da Mesa Diretora, vereador Enis Gordin (PRB), promulgou o orçamento integralmente, conforme prevê a Lei 4.300/20019, na última sexta-feira (01), após o prefeito se recusar a realizar a promulgação.

Enis Gordin (PRB), promulgou o orçamento integralmente, conforme prevê a Lei

“Sei que o prefeito vai trabalhar certinho porque ele é inteligente”. 

O chefe do Executivo já havia vetado o projeto porque não concordava com os 5% de suplementação orçamentária, mas o veto foi derrubado pelos vereadores. Durante entrevista coletiva, realizada nesta segunda-feira (04), o presidente afirmou que a medida vai entrar para a história da Câmara porque não se tem conhecimento de a Casa tenha precisado promulgar orçamento em anos anteriores.

“O orçamento foi promulgado por esta Casa e se tornou Lei com as emendas, incluindo os 5% de suplementação. Sei que o prefeito vai trabalhar certinho porque ele é inteligente suficiente”, disse o presidente.

Comissão. O presidente da Comissão de economia e Finanças, vereador Marcos Grijó (PDT) ressaltou a importância das emendas realizadas pelos parlamentares no orçamento. “Nós entendemos que a muito tempo o município não olha para alguns bairros. Essas emendas são obras importantes para dar mais mobilidade urbana e mais facilidade de acesso do cidadão a saúde e segurança. Por exemplo, tem a aquisição de jet ski para o salvamento marítimo. Nossos salva-vidas hoje não tem equipamento nenhum. As emendas também tratam do asfaltamento em vias como o chamado asfalto velho, no Nossa Senhora da Conceição, e em ruas de Santa Mônica. Tem também a compra de ambulâncias com UTI. Então são emendas que pulverizam o orçamento”, afirmou Grijó.

Suplementação. Enis também explicou que o valor liberado do orçamento prevê o pagamento dos servidores e de despesas da administração municipal bem como a realização de investimentos na saúde, educação, obras, turismo, cultura, assistência social, esporte, meio ambiente e agricultura.

E que além dos mais de R$ 396 milhões, o prefeito ainda pode contar com a suplementação de 5%, o que equivale a R$ 20 milhões, e ainda pode pedir mais, de acordo com a necessidade até completar 30%. “Não vai faltar remédio nem pagamento dos funcionários. Não vai faltar nada. Nós só vamos fiscalizar melhor o que está acontecendo com o dinheiro para não acontecer gastos desnecessários como os banheiros químicos com ar- condicionado porque nós somos cobrados todos os dias o porque está acontecendo a compra de coisas que não acrescentam nada para nossa população”, finalizou o presidente.

Comments are closed.