Para comemorar o Dia Mundial da Conscientização sobre o Autismo, monumentos históricos serão iluminados pelo azul. Isso acontece todos os anos. Vestir de azul também é uma boa ideia. A Organização das Nações Unidas (ONU) indicou o dia 02 de abril como a data para uma campanha de conscientização sobre o autismo. A primeira campanha mundial, nessa data, foi no ano de 2008 e desde então, anualmente, o mundo todo se ilumina de azul pelo autismo.

O que é Autismo?

Autismo é um distúrbio do desenvolvimento do sistema nervoso que afeta o relacionamento de seus portadores com as outras pessoas e com o mundo ao seu redor. Está incluído num conjunto de doenças denominado transtorno do Espectro Autista.

Foto: Campanha de divulgação.
Foto: Campanha de divulgação.

Os tipos de autismo mais comuns, classificados de acordo ao grau de comprometimento, são:

– Autismo Clássico, que deve preencher uma série de critérios diagnósticos, e apresenta como características principais um prejuízo na interação social e na comunicação e restrição de comportamento, interesses e atividades;

– Síndrome de Asperger, que se diferencia do autismo clássico por não apresentar atraso no desenvolvimento cognitivo ou da linguagem;

– Autismo Atípico, que se diferencia do autismo clássico por manifestar-se tardiamente, após os três anos de idade, e por não preencher todos os seus critérios diagnósticos.

Dentre os diversos sintomas do autismo, os principais incluem distúrbios no desenvolvimento das habilidades sociais, físicas e linguísticas e alterações nas funções sensoriais.

O diagnóstico do autismo é baseado na história clínica e norteado por critérios estabelecidos pelo CID (Classificação Internacional de Doenças da OMS) ou pelo DSM (Manual de Diagnóstico e Estatística da Sociedade Norte-Americana de Psiquiatria).

São diversas as opções de tratamento do autismo, escolhidas de maneira individualizada para cada paciente. De maneira geral, os tratamentos visam estimular o desenvolvimento das habilidades sociais e ensinar as famílias a lidar com o autismo.

As causas do autismo, por fim, ainda estão sendo elucidadas através das pesquisas científicas. O que já se sabe é que há um componente genético importante como causa da doença, e que há possibilidade de associação de fatores ambientais desencadeantes.

Deixe seu comentário