O videomonitoramento de Guarapari, um dos sistemas de segurança mais importantes da cidade e que já ajudou a evitar e elucidar diversos tipos de crimes, não está funcionando corretamente. A denúncia é da vereadora Fernanda Mazzelli que esteve presente na central e percebeu que o videomonitoramento está com vários problemas.

Segundo ela, a maioria das câmaras estava sem funcionar durante a sua visita. Ela disse ainda que quase foi  barrada. “Fui fiscalizar que é nossa principal função. O responsável me atendeu muito bem e explicou sobre o funcionamento. Depois de explicado, eu pedi para ir na sala onde ficam as Câmeras e ele disse que não podia me deixar entrar, dizendo que tinha ordem. Eu disse que iria chamar a polícia e fazer um boletim de ocorrência”, explicou ela.

A denúncia é da vereadora Fernanda Mazzelli que esteve presente na central e percebeu que o videomonitoramento está com vários problemas.

13 câmeras. Depois de algum tempo e após o funcionário consultar a prefeitura, ela foi autorizada a entrar. “Ele me mostrou uma lei que estabelece as pessoas autorizadas a pedir as imagens. Eu disse que não queria pedir imagens. Só queria saber se as câmeras estavam funcionando, porque eu fui eleita para isso. No momento que entrei, só tinham 13 câmeras funcionando. Soube ainda, que existem vários picos, não sei se devido a aparelhagem ou a internet, que fazem o sistema cair em vários momentos”, disse a vereadora.

Resultado. Fernanda explicou que sua visita já teve resultados. “Fico triste porque queremos uma solução para a segurança pública em Guarapari, até mesmo para estar esclarecendo muitos crimes na cidade. Estamos solicitando ao município que essas Câmeras voltem a funcionar para dar segurança à população de Guarapari. Estou sabendo que após minha visita, a prefeitura está colocando mais câmeras para funcionar. Estamos de olho para fiscalizar, porque esse sistema é importante para todo mundo”, finalizou.

Além da vereadora, o Portal 27 também recebeu reclamações de Policiais Civis e Miliares que cobram o funcionamento do sistema. Para se ter a ideia da importância do sistema para a polícia, um assassinato que aconteceu próximo a uma das câmeras, no bairro Perocão, poderia ter sido elucidado, mas após a solicitação da polícia, descobriram que a imagem não existia.

2015. O sistema de videomonitoramento começou a funcionar em junho de 2015. E os problemas no sistema já foram destaque em várias matérias do Portal 27. Confira uma delas aqui .

O sistema de videomonitoramento começou a funcionar em junho de 2015. Foto: João Thomazelli

Resposta. O Portal 27 procurou a prefeitura para que ela nos informasse quais atitudes seriam tomadas com relação a essas denuncias da vereadora e fomos informados que: “Devido a troca do sistema de rádio por fibra ótica, que está sendo realizado, o sistema de videomonitoramento pode passar por instabilidades. Pouco depois da visita da vereadora, o número de câmeras ativas subiu para 25. Novamente, esta oscilação se dá devido a substituição por conexão de fibra ótica. 

Infelizmente algumas câmeras sofreram ações de vandalismo e outras por conta de acidentes deixaram de funcionar. A normalização do serviço já está em andamento com interligação da rede e reparo dos equipamentos. O município está trabalhando para viabilizar a participação da Policia Militar para operacionalização do videomonitoramento”

Deixe seu comentário