Um grupo de ex-funcionários da empresa Vista Group Network (VGN), responsável pela cobrança do estacionamento rotativo em Guarapari, compareceu na empresa na manhã desta quinta-feira (16) para cobrar o pagamento dos salários.

Funcionários demitidos da empresa VGN aguardavam pagamento na manhã desta quinta-feira (16).

Eles alegam que foram demitidos na tarde desta quarta-feira (15) e que não receberam salário e ticket alimentação. ” Estamos com salário e ticket atrasado. Na terça só seis funcionários novatos trabalharam pela manhã até a polícia avisar para recolher todo mundo. Ontem fomos cobrar o pagamento e nos mandaram para rua. A empresa tem 43 agentes e 35 foram mandados embora”, disse um dos funcionários demitidos.

Ele disse ainda que a empresa descontava o FGTS, mas não repassava o valor. “Fomos no banco tirar um extrato e não tinha nada do fundo de garantia. Eles não depositaram”.

O advogado da empresa, Wesley Bittencourt negou que as demissões foram ocasionadas pela cobrança de pagamento. “A empresa está passando por uma reorganização estrutural e tem que olhar o melhor interesse dela. Nessa reorganização  se fez necessário as demissões, é uma decisão  empresarial. Não teve nenhuma motivação nesse sentido. O que eles estão falando é completamente surreal, a empresa tem suas necessidades próprias”.

O advogado da empresa, Wesley Bittencourt negou que as demissões foram ocasionadas pela cobrança de pagamento.

PREJUÍZOS: Ele disse ainda que a empresa tem um prazo legal de dez dias para pagar os funcionários e que a paralisação do policiamento na última semana fez com que não fossem realizadas cobranças para preservar a vida dos funcionários e isso prejudicou a arrecadação. Segundo o advogado, também está  deixando de arrecadar recursos por conta do não cumprimento do contrato de concessão por parte da Prefeitura. “a empresa tem passado por algumas questões financeiras complicadas, tendo em vista que o município está descumprindo o contrato de concessão. Com esse descumprimento algumas contrapartidas que o município deveria fazer não vem fazendo. O Ministério  Público de Contas e o Tribunal de Contas do Estado já se posicionaram favorável a empresa”.

PREFEITURA: A Secretaria Municipal de Fiscalização informou que a situação do rotativo está em fase de análise por parte Poder Público Municipal. Segundo a secretaria, as denúncias contra a prefeitura são infundadas. A própria VGN não tem cumprido com o contrato e está em atraso com o repasse dos 34% da arrecadação, fora outras irregularidades já constatadas por fiscais da prefeitura.

O administração municipal ainda lembrou que em janeiro de 2017, por meio do decreto 023/2017, a prefeitura suspendeu o sistema do rotativo na Praia do Morro e Muquiçaba, pelo prazo de 90 (noventa) dias, para estudos de viabilidade técnica no que diz respeito a ampliação do sistema de estacionamento rotativo. A cobrança nesses locais é indevida e a empresa já foi notificada pela prefeitura.

Após o Portal 27 entrar em contato com a empresa, uma ex-funcionária nos informou que eles foram chamados e receberam o salário. “Eles pagaram nosso salário e prometeram que até terça-feira vão pagar o ticket e talvez nos dê já nossa rescisão”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.