Após o Portal 27 denunciar em reportagens especiais o drama de duas famílias que perderam seus entes queridos e acusam a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) por negligência médica, a Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Guarapari vai se reunir na próxima terça-feira (21) para discutir o assunto.

Comissão de Saúde vai analisar os casos de mortes de pacientes da UPA.

A Comissão de Saúde é composta pelas vereadoras Kamilla Rocha que é a presidente, Paulina Aleixo que é relatora e Rosangela Loyola que é membro. A vereadora Kamilla afirmou que “A Comissão vai se reunir para a gente traçar alguns passos que vamos fazer em relação a esses dois casos que o Portal 27 tem falado”, disse.

A presidente da Comissão explicou também que nem o médico denunciado na primeira matéria nem representantes da UPA foram convidados a participar dessa reunião. “Por enquanto eles não foram chamados porque a Comissão vai se reunir para saber quais vão ser os passos da Comissão. O UPA tem uma chefia, que é a secretária de Saúde então não posso ir no UPA antes de ir na Secretaria de Saúde, mas ainda vou conversar com a secretária”.

A vereadora Kamilla Rocha é a presidente da Comissão e também vai conversar com a secretária de saúde sobre os casos.

Processo. A filha do paciente Francisco Gomes de Oliveira, Maria Cláudia Cardoso disse que vai participar da reunião e afirmou que “fico muito feliz em saber que não estão deixando isso de lado. Meu pai e o rapaz do São Gabriel não foram os únicos tratados dessa forma pelo médico. Nos comentários das matérias vi vários casos de pessoas reclamando”.

Ela disse ainda que já está conversando com um advogado para entrar com processo. “Um advogado amigo meu vai tentar ter acesso ao prontuário para entrar com uma ação. Ainda vou conversar com ele e decidir se vamos entrar com a ação contra o médico ou contra a UPA”.

O amigo de Marcos Rodrigues Silva, Edmar Huller também ficou afirmou que vai participar da reunião. Ele também afirmou que “estamos esperando a para ver se a prefeitura vai fazer alguma coisa. Mas quero entrar com o processo para não deixar as coisas assim. A irmã do Marcos está com muito medo, mas a mãe está muito revoltada com essa situação. Ainda não temos advogado porque a situação não está fácil, mas quando a gente conseguir um vamos entrar com processo sim”.