Familiares e amigos do vigilante patrimonial Vanderley Carrero da Silva, 39 de anos, estão organizando uma campanha na internet para arrecadar fundos para o seu tratamento. Ele está com um câncer do tipo linfoma não-hodgkin na boca.

Vanderley descobriu o câncer em outubro de 2016 e desde então vem lutando contra a doença. Foto: Arquivo Pessoal

Vandeley contou que percebeu um nódulo na boca em setembro de 2016 e chegou a se internar em um hospital de Guarapari porquê sentia muita dor. Após receber alta, ele continuou se sentindo mal e procurou ajuda na unidade de saúde do Trevo de Setiba. Lá foi encaminhado para o Hospital das Clínicas, em Vitória, onde fez uma biópsia. O material coletado foi enviado para análise em São Paulo e em outubro de 2016 saiu o resultado, que mostrava que ele tinha câncer.

Após descobrir a doença, ele começou a fazer o tratamento com quimioterapia e desde então só consegue se alimentar com líquidos ou  comida processada. Segundo Vanderley, como não houve muito resultado ele passou a fazer também a radioterapia no Hospital Santa Rita, onde fez 37 sessões.  A lesão diminuiu e ele teve alta, mas três dias depois o problema voltou e ele precisou retomar as sessões de quimioterapia, que vem realizando até hoje.

Ele contou que desde o início do tratamento ficou internado diversas vezes. A última internação foi no dia 31 de janeiro e desde então ele permanece hospitalizado. “A lesão voltou para o lado direito e também tomou um cantinho do lado esquerdo”, disse Vanderley.

Segundo Vanderley, o medicamento que precisa custa R$ 18 mil cada ampola. Foto: Arquivo Pessoal

O vigilante relatou ainda que ficou desempregado logo quando percebeu o nódulo e que suas economias foram usadas no tratamento, mas já acabaram. “O dinheiro que eu tinha guardado tive que gastar com alimentação, remédio e transporte porque às vezes vinha para o hospital de ônibus e outras vezes contei com a ajuda dos amigos que tinham carro. Eu colocava a gasolina e eles me traziam”.

Vanderley tem um filho de 11 anos que mora com a mãe em Belo Horizonte, em Minas Gerias. Há três meses ele se casou e sua esposa tem três filhos. A situação do casal piorou porquê ela trabalhava como cabeleireira, mas também perdeu o emprego. Agora ele entrou na justiça para conseguir o medicamento que precisa. “A gente está correndo atrás para conseguir o remédio na justiça porque ele é muito caro. Cada ampola custa R$ 18 mil”.

Por conta da doença ele precisou mudar da casa onde morava já que o local dá muita poeira. Ele começou a fazer uma nova casa, mas não conseguiu terminar a obra. “Comecei a pagar aluguel, mas o dinheiro não deu e eu e minha mulher estamos morando de favor. A obra está parada por que não consegui terminar. Minha casa está abandonada e eu não posso mexer”.

Doações. A campanha está sendo realizada no site vaquinha online e tem como objetivo arrecadar pelo menos R$ 8 mil para cobrir os custos com transporte, alimentos e tratamento de Vanderley. Quem quiser ajudar pode doar qualquer valor através do cartão de crédito, débito ou boleto bancário. Basta colocar #curadeVanderley na busca do site ou acessar o link : https://www.vakinha.com.br/vaquinha/curadevanderley

Outra opção é fazer um depósito na conta em nome de Vanderley Carrero da Silva no Caixa Econômica Federal. Os dados são  agência 0173, operação 013 e conta 00052722-3. 

Comments are closed.