Uma cena inusitada no último domingo (13), chamou a atenção do advogado criminalista Horácio do Carmo de Oliveira.  Ele foi visitar o seu cliente no Centro de Triagem de Viana (CTV) e presenciou uma situação que o deixou muito insatisfeito com o sistema penitenciário capixaba.

Segundo policiais, José drogava as mulheres, com fim de prática sexual
Segundo policiais, José drogava as mulheres, com fim de prática sexual

Por volta das 20h, quando estava na portaria da triagem, o Advogado de José Benedito Tores, o Bené, de 50 anos, mais um pastor e três mulheres não identificadas, tentaram entrar no local para visitar o detento, mas foram impedidos pelos agentes que estavam de plantão na noite. Quando Horácio estava saindo, se deparou com o que chamou de absurdo.

“Eu cheguei lá para visitar o meu cliente e vi aquela movimentação e não entendi nada. Eles queriam entrar, mas os agentes impediram. Eles não ficaram satisfeitos. Quando eu estava saindo do presídio, vi que eles tinham conseguido entrar, não acreditei na cena e fui conversar com alguns agentes que estavam na parte da frente, e eles informaram que a ordem de entrada ao recinto, teria vindo do Secretário de Justiça”, explica Horácio.

José foi preso na segunda-feira (7), em uma investigação da Delegacia Patrimonial de Guarapari. (veja a matéria aqui)

O advogado ainda disse que eles chegaram em três carros de luxo, um dos carros tinha até motorista particular. “Eu vi que eles estavam em carros de luxo, um tinha motorista, não sei se era do pastor ou das mulheres, duas delas pareciam ser muito novas. Achei um absurdo toda aquela situação. Como eles conseguiram entrar com facilidade. Isso demonstra a falta de segurança dentro dos presídios capixabas”.

A Secretária Estadual de Justiça informou que irá apurar a denúncia.
A Secretária Estadual de Justiça informou através de nota, que irá apurar a denúncia.

A unidade, como já diz o próprio nome, é o local onde é feita a triagem dos presos que entram no sistema prisional. Lá eles permanecem até que seja feita a transferência para a unidade indicada, de acordo com perfil e situação jurídica do preso.

Nós procuramos do presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do ES (SINDASPES), Antônio Carlos Vilela, para saber sobre o episódio. Vilela disse que entrou em contato com os funcionários que trabalharam no plantão e que afirmaram que realmente aconteceu o fato e que vai entrar com uma denúncia no Ministério Público Estadual. Já a Secretária Estadual de Justiça informou que irá apurar a denúncia.

Nossa reportagem ainda procurou o advogado de Bené, Danilo Mourão, que disse ter tentado buscar ajuda espiritual para seu cliente, mas entrou sozinho no CTV.

Deixe seu comentário