Uma decisão judicial, através de um mandado de segurança, obrigou a prefeitura de Guarapari a chamar 11 guarda-vidas para começar a trabalhar em Guarapari. Os novos profissionais já foram convocados para apresentar documentação na Secretaria Municipal de Saúde, em Muquiçaba e serão incorporados no quadro de guarda-vidas contratados pelo município, através do último edital, de 2015.

Foto: João Thomazelli/Portal 27
Eles procuram o vereador Dito Xaréu, que entrou com um processo na justiça para reaver a avaliação feita. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Vereador. A contratação foi efetivada no mês de junho deste ano, porque os profissionais não foram aprovados na quarta fase do procedimento, onde foi avaliada a vida pregressa dos candidatos, e eles procuram o vereador Dito Xaréu, que entrou com um processo na justiça para reaver a avaliação feita. “Esses guarda-vidas foram aprovados na maioria das fases do processo seletivo no ano passado, mas acabaram ficando na investigação social, e por isso não foram contratados. Os candidatos procuraram nossa assessoria jurídica, que através da advogada , conseguimos entrar com um mandado de segurança e aprovar os onze profissionais”, explicou.

Para o vereador, as pessoas que apresentam algum processo judicial, já possuem uma dívida com a justiça. “Se a pessoa foi pega no bafômetro, por exemplo, essa pessoa já responde isso na justiça, e a situação não impede que o candidato seja um bom profissional por esse motivo”. E completa. “Guarapari precisa desses profissionais a mais. E com toda essa crise que afeta a cidade, serão mais onze famílias empregadas no município”.

Dito_1
“Através da advogada conseguimos entrar com um mandado de segurança e aprovar os onze profissionais”, explicou Dito

Com a contratação dos novos guarda-vidas, Guarapari conta agora com quase 90 profissionais. São 27 efetivos e 50 contratados através do processo seletivo no ano passado.

Resposta. A prefeitura disse que “o procedimento foi um mandado de segurança em que os candidatos impugnavam uma exigência do Processo Seletivo referente a análise de vida pregressa, cuja exigência é comum em cargos de natureza militar, porém o juízo entendeu como indevido no processo seletivo municipal, determinando a reintegração dos candidatos a quarta fase do procedimento. Atendido o comando judicial, os candidatos foram aprovados nas demais fases do processo seletivo sendo classificados no número de vagas previstas no edital”.

E informou ainda que “Considerando a necessidade do município em atendimento aos usuários do serviço de guarda vidas, tendo sua conveniência, resolveu reforçar o número de profissionais para iniciar a integração ao Projeto ‘Guarapari, o melhor verão dos últimos dez anos’”.