Por volta as onze horas da manhã desta quinta-feira (04) a loja Varejão da Economia, localizada na avenida Jones dos Santos Neves, em Muquiçaba, foi assaltada por dois homens armados.

A gerente, que pediu para não ser identificada, relatou como tudo aconteceu. “Entraram dois indivíduos aqui na loja, um estava com uma bolsa muito grande e o outro armado. A funcionária estava arrumando uma arara e ele apontou a arma para ela dizendo para que ela ficasse atrás do caixa e quieta que não iria acontecer nada com ela. Porém, ele pediu para ajudá-lo a colocar as camisas e as bermudas dentro da bolsa. Aí ele limpou o paredão de camisas, levou mais de 60, e junto com elas levou as bermudas e dois vestidos de festa. Quando eles estavam saindo também pediram para ela passar o celular dela e depois foram embora tranquilamente pela rua lateral”

De acordo com a gerente, somente essas camisas sobraram e ainda assim porque caíram no chão.

Ela contou na semana passada a outra loja que também fica em Muquiçaba teve os mesmos produtos roubados e que essa semana dois jovens estiveram na loja que foi roubada hoje olhando essas camisas, mas não compraram nada. Por isso, a gerente acredita que o crime possa ter sido cometido por alguém que já conhece a rotina da loja. “Até o produto e o horário são os mesmo do assalto anterior. Eles estão visando a camisa da BGO, que é de marca e cara. Acho que é alguém que sabe que a funcionária vai ficar sozinha na loja e que a camisa tem um preço mais alto então já tem noção do que vem pegar na loja”.

“Ainda não fiz o cálculo do prejuízo porque as camisas têm preços variados, mas estão na faixa de R$ 78,00 e R$ 88,00 e as bermudas na faixa de R$ 54,00. Acredito que o prejuízo ultrapasse os R$ 3.000,00”, lamentou a gerente.

Na arara de bermudas roubadas só sobrou uma peça.

A gerente disse ainda que a loja vai adotar medidas para tentar garantir a segurança. “Essa loja não tem câmera e parece que eles já sabiam disso porque na outra loja eles entraram com capacete e aqui só com o boné. Então a gente vai instalar câmera e colocar segurança. Temos que tomar alguma atitude porque não dá para trabalhar assim em menos de uma semana tomar um prejuízo desses não dá para manter as portas abertas. O comércio de Guarapari já não está bom e ter que conviver com isso fica difícil trabalhar”.

Ela também reclamou da falta de policiamento nas ruas. “Toda a vez que a gente acionou a polícia eles vieram e a gente passou para eles as informações. Acho que diminuiu o policiamento porque Guarapari não tinha tantos assaltos assim e agora tem toda semana. Ontem mesmo quando sai da loja um rapaz passou gritando pega ladrão então quer dizer a gente não pode nem mais andar na rua tranquilamente e não vê policiamento. Está muito complicado”.

PM.Procurada para falar sobre as críticas da comerciante, a Polícia Militar respondeu que “A Polícia Militar informa que o município de Guarapari  conta com a Força Tática, que é a estrutura da PM que executa o patrulhamento tático móvel, modalidade de policiamento ostensivo realizada por processos desenvolvidos por meio de viaturas, motos ou a pé, visando prevenir e reprimir qualificadamente a criminalidade, de forma suplementar às demais modalidades de polícia ostensiva. A PM se coloca à disposição da comunidade para conversar sobre as ações de policiamento desenvolvidas na região. É importante que as vítimas registrem as ocorrências na delegacia para que a Polícia Civil”

Deixe seu comentário

Comments are closed.