A notícia que parou Guarapari no final de junho do ano passado, onde o príncipe árabe Khaled Bin Alwaleed Al Saud, estava disposto a comprar o Siribeira e transformar em um grande empreendimento turístico, parece que naufragou na crise em que o país vive este ano.  (relembre a matéria aqui)

portocity_thiago (9)
Príncipe Khaled esteve no Estado em 2013 e foi recebido pelo governador Casagrande. Foto Thiato Martins.

De acordo com o jornal A Tribuna, o sonho de Guarapari ganhar o seu primeiro resort internacional e potencializar o seu turismo local, pode não se concretizar. O príncipe está receoso em dar continuidade ao projeto no Siribeira Iate Clube, por conta do cenário político e econômico que o país passa atualmente.

GEDSC DIGITAL CAMERA
Hotel de luxo teria duas torres de 250 apartamentos. Foto: Vinicius Rangel.

De acordo com o empresário e sócio do Siribeira, Ricardo Cruz, 66 anos, na última quarta-feira, houve uma reunião com alguns sócios e a empresa que possivelmente vai realizar a construção do resort no espaço. Em busca de um retorno positivo sobre o projeto, Ricardo foi informado de que nesta fase atual, o príncipe disse que não iria investir dinheiro no Brasil.

Ricardo Cruz
Segundo Ricardo a empresa pediu um prazo de até 90 dias.

“Ficamos assustados e não esperávamos que ele fosse dizer isso. Queríamos era saber quando iria começar a construção do empreendimento, mas fomos informados de que o príncipe está receoso de investir dinheiro dentro do Brasil, por que dos escândalos de corrupção e também da crise econômica. Isso atinge o Estado e também Guarapari”, disse o empresário ao jornal.

Ricardo explicou que os representantes não demonstraram desinteresse em dar continuidade ao projeto. Ainda segundo ele, a empresa pediu um prazo de até 90 dias, mas acredita-se que possa demorar mais.

“Eles pediram para a gente aguardar 90 dias, mas creio que essa quantidade pode se estender, porque o Brasil não vai melhorar em 90 dias, isso é um processo longo. Se eles desistirem, temos pessoas interessadas em realizar outros projetos”, contou.

Resort. O investimento do príncipe seria a construção de um hotel de luxo com duas torres de 250 apartamentos cada, quatro restaurantes internacionais, centro de convenções com capacidade para 10 mil pessoas e estacionamentos. Além de uma marina para atracar os três navios de Khaled.

Com informações do Jornal A Tribuna.