A destruição provocada pelo mar agitado na praia de Meaípe, em Guarapari, poderá ser recuperada pela prefeitura com recurso federal. A senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) recebeu na terça-feira (15), em Brasília, o prefeito Edson Magalhães (PSD) e liberou junto ao Ministério das Cidades R$ 1,5 milhão para obras de contenção e recuperação do calçamento.

Para ter acesso ao recurso, a prefeitura deverá apresentar nos próximos dias o projeto de revitalização da orla de Meaípe à Caixa Econômica Federal (CEF), responsável por aprovar o projeto. Com o recurso empenhado, após a aprovação do banco, o Ministério das Cidades libera o dinheiro para os cofres da prefeitura.

A senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) recebeu na terça-feira (15), em Brasília, o prefeito Edson Magalhães (PSD).

“O recurso estava aprovado para um outro projeto, mas vendo a praia de Meaípe era de grande importância e pedi que o recurso fosse transferido para Meaípe. A verba está no Ministério das Cidades já está aprovada e agora só depende do prefeito entregar o projeto para liberação”, garante a senadora.

O muro segundo a senadora é emergencial, mas somente esta obra não resolve o problema da praia. “Não é esse o único projeto que vai resolver o problema de Meaípe. O muro de contenção é algo que vai resolver o agora para segurar essa erosão causada. O local precisa de projetos muito mais amplos do que isso”, esclarece Rose de Freitas.

Há quatro meses para o verão, a senadora ainda destaca que além da preocupação com a alta temporada, também é importante garantir segurança para quem mora no balneário. “Meaípe é um balneário turístico e muito frequentado não somente na época do verão, mas fora de temporada também. A preocupação é também com as pessoas que ali moram que não podem viver com a insegurança do avanço das marés”, disse Rose de Freitas.

Agora que a maré baixou mais, foram identificadas várias pedras na areia. Foto: Roberta Bourguignon

Obras. Segundo previsão da prefeitura, as obras que começam na próxima semana, terminam até o dia quatro de janeiro.  O mar, segundo a Defesa Civil está perigoso, pois agora que a maré baixou mais, foram identificadas várias pedras na areia, o que passa a oferecer riscos para quem entra na água.

De acordo com o órgão, as pedras que estão indo e voltando com o balanço das ondas são pedaços do muro de contenção que desabou e também pedras que estavam no fundo do mar e submergiram com a força do mar.  

Na semana que vem, a prefeitura inicia as obras através de um reforço nos locais mais críticos. Segundo o secretário de Planejamento e Empreendedorismo, Edgar Behle, para a construção do novo muro de contenção será feito uma base com pedras e em cima dessa base de pedras vai ter uma estrutura metálica recoberta com concreto para que o muro tenha grande durabilidade.

Deixe seu comentário

Comments are closed.