A Polícia Militar Ambiental foi acionada através de denúncias anônimas nesta quinta-feira (28), informando que um incêndio havia atingido uma grande área de plantação de seringueiras e uma área de reserva legal, em uma propriedade localizada no bairro Rio Claro, município de Guarapari.

O homem aos militares que teria colocado fogo em uma área de cultivo de café de sua propriedade
O homem aos militares que teria colocado fogo em uma área de cultivo de café de sua propriedade. Foto: Polícia Ambiental

Chegando ao local indicado, os policiais encontraram inicialmente alguns pássaros que estavam sendo mantidos em cativeiro e que não possuíam registros. Foram apreendidos dois sanhaços, quatro gaturamos, doze coleiros, três catataus, duas cigarrinhas, uma saíra além de dois periquitos e quinze gaiolas.

Em uma busca mais detalhada após a apreensão dos pássaros, os policiais encontraram escondidos em um paiol uma espingarda calibre 32, uma garrucha do mesmo calibre, dez munições, 141 espoletas e seis frascos contendo pólvora e chumbo.

Após as apreensões, os policiais percorreram a propriedade juntamente com o proprietário, que informou aos militares que teria colocado fogo em uma área de cultivo de café de sua propriedade, onde o fogo de forma descontrolada, se espalhou atingindo uma propriedade vizinha queimando uma área de 20 mil metros quadrados onde estavam plantados mil pés de seringueira e ainda cerca de 2 mil metros quadrados de reserva legal.

Todo o material apreendido foi encaminhado junto com o detido para a Delegacia. Foto: Polícia Ambiental
Todo o material apreendido foi encaminhado junto com o detido para a Delegacia. Foto: Polícia Ambiental

O suspeito foi conduzido para o DPJ de Guarapari juntamente com os pássaros e todos os objetos apreendidos. Ao final da ocorrência os pássaros foram levados para o viveiro da 1ª Companhia Ambiental em Guarapari de onde seguirão para Centro de Reintrodução de Animais Selvagens (Cereias), localizado em Barra do Riacho, Município de Aracruz para avaliação, tratamento visando posterior soltura.

Informações: Assessoria Polícia Ambiental

Deixe seu comentário