Na noite desta quarta-feira (27), o vereador, Denizart Luiz, que foi até a 5ª Delegacia Regional de Guarapari para registrar um boletim de ocorrência da perda do documento de identidade do filho, foi obrigado a fazer um outro boletim. Agora, o do arrombamento e furto de objetos de seu carro, que estava estacionado em frente à delegacia.

O vereador se deparou com a porta de seu carro arrombado, o rádio foi furtado, além de seus óculos , e seus pertences todos revirados.

De acordo com Denizart, ele ficou por cerca de 2 horas esperando para registrar o desaparecimento do documento, ao sair da delegacia, se deparou com a porta de seu carro arrombada. “Meu carro estava parado bem em frente ao DPJ. Eu só vi a porta dele aberta e quando cheguei perto estava tudo revirado, o rádio havia sumido, e também uns óculos que estavam dentro do veículo”, conta o parlamentar.

E fala que ao voltar à delegacia para comunicar o furto, os policiais ficaram constrangidos com o ocorrido. “Os policiais não acreditaram quando voltei contando. Eles ficaram constrangidos por ter acontecido ali, bem na porta da delegacia. Ainda tentaram encontrar os bandidos que arrombaram o carro, foram até os terrenos baldios, abriram carro por carro para ver se encontravam”, relata Denizart.

O veículo, uma saveiro prata, estava estacionado em frente à delegacia quando foi furtado.

O vereador fala sobre a sensação de insegurança vivida. “Os bandidos perderam o respeito pela polícia. Arrombar um carro parado bem em frente a porta da delegacia é demais. Mas isso é a certeza da impunidade. Os policiais têm o trabalho de investigar e prender, e a justiça depois solta eles em poucos dias. Nossos policiais estão enxugando gelo. Estão como nós, reféns do sistema”, lamenta o parlamentar.

Recentemente, o Portal 27 havia feito uma matéria com o vereador que cobrava uma solução para os carros apreendidos que ficam estacionados em frente ao DPJ. Na matéria ele fala sobre a insegurança que aqueles veículos acumulados na rua, traziam para os moradores do entorno. “Eu me tornei uma vítima da questão que já vinha cobrando a tempos. Guarapari precisa de um pátio para aqueles carros, que viraram esconderijo de bandido”, ressalta Denizart.