Após a Prefeitura buscar regularizar a situação dos ambulantes da Praia do Morro, retirando diversos deles das ruas, os vereadores, para tentar amenizar o impacto,  criaram o projeto de  lei n.º 169/2013, que autorizaria os ambulantes a trabalhar.

Este projeto regulamenta a comercialização de alimentos denominados “cachorro quente”, hambúrguer, sanduíches, churros, pipocas, churrasquinho, salgados, doces caseiros e bebidas não alcoólicas por vendedores autônomos, em veículos automotores ou em carrinhos não motorizados no município de Guarapari. O projeto foi vetado pelo poder executivo.

A apreciação do veto será feito pelos vereadores em sessão ordinária a se realizar na tarde de hoje (24). Isso tem causado um grande transtorno para esta categoria.

GEDSC DIGITAL CAMERA
Vendedores foram até o MP para tentar acordo para pode trabalhar. Foto Rosimara Marinho.

“Guarapari nos tirou da rua, mas não nos deu outra oportunidade”

A reportagem do Portal 27 procurou um ambulante para contar um pouco das consequências que essa lei já causou. A vendedora de churros, Jaciara Maria Estela, trabalhava com seu carrinho na Praia do Morro.

Desde a proibição, ela foi retirada da rua e está com seu carrinho parado. “Guarapari nos tirou da rua, mas não nos deu outra oportunidade”, conta Jaciara, que quer trabalhar para não precisar viver de caridade. “Eu quero trabalhar para não precisar mendigar”.

Jaciara é estudante de direito e tem bolsa de 50% de desconto, logo precisa pagar em dinheiro, mensalmente, a outra metade. Está cursando o quarto período da faculdade e este é um sonho dela, se formar em direito. No entanto ela indaga “Mas que direito é esse? Que eu não tenho nem o direito de trabalhar?”.

12253465
Jaciara: “Eu quero trabalhar para não precisar mendigar”.

E as despesas não se resumem apenas em estudos. Ela conta que possui os custos de casa, já que mora de aluguel, custos com a filha e organiza seus gastos de acordo com o que ganha quando trabalhava. “É como se você acreditasse no seu trabalho, tivesse um patamar de vida de acordo com o seu trabalho, e hoje você está praticamente uma pedinte”.

Desse modo, o nome de Jaciara foi parar no SPC e Serasa. Porém, ela espera uma medida cabível para os ambulantes, para que eles retornem o mais rápido possível com os seus trabalhos. Pois o que ela e todos os outros precisam, é voltar a ter renda.

Deixe seu comentário