Com a chegada do verão, em pleno período de férias escolares e diante do calor, todos buscam diversão na praia e muitas vezes acabam se esquecendo de tomar os cuidados básicos com a saúde. Com a exposição demasiada ao sol e as altas temperaturas favoráveis à proliferação de micro-organismos nos alimentos, o resultado é febre, diarreia, vômito e desidratação, principalmente em crianças. Esses são os sintomas de gastroenterite, mais conhecida como a doença do verão.

gastroenterite_5451_orig
Febre, diarreia, vômito e desidratação. Esses são os sintomas de gastroenterite, mais conhecida como a doença do verão.

No Hospital Infantil Francisco de Assis  (HFA), em Guarapari, o aumento nos atendimentos de gastroenterite quase triplicaram nos primeiros sete dias de janeiro. Enquanto no mês de novembro foram registrados 101 casos e em dezembro 108, na primeira semana de janeiro já tiveram 69 pacientes.

Isso significa que já foram atingidos 65% do total de atendimentos realizados no mês passado. A Dr. Sandra Guimarães, pediatra do hospital, faz o alerta para que todos redobrem a atenção. “É importante evitar a exposição ao sol em horário de pico, das 11h às 15h, quando os raios ultravioletas são mais agressivos, e não esquecer de passar sempre o protetor solar. Também é importante se hidratar com frequência com ingestão de líquidos, como água, água de coco e sucos de frutas naturais. O ideal é dobrar a quantidade de líquido dado aos filhos. Porque essa exposição intensa ao sol propicia quadros de desidratação, principalmente em crianças e em idosos”, explica a pediatra.

HFA-predio
No Hospital Infantil Francisco de Assis (HFA), o aumento nos atendimentos de gastroenterite quase triplicaram nos primeiros sete dias de janeiro.

De acordo com ela, outro cuidado é na hora de escolher os alimentos. A dica é verificar a procedência, observar as condições de acondicionamento e ficar de olho na manipulação. Os cuidados com a higiene são fundamentais para evitar a contaminação. Embora muitas vezes não aparentem, os alimentos podem estar estragados e é quando acontece a intoxicação alimentar. Na praia, o risco é maior porque o forte calor faz com que os alimentos estraguem com mais facilidade.

curare-la-gastroenterite
De acordo com ela, outro cuidado é na hora de escolher os alimentos.

“Normalmente são casos de desidratação leve, neste caso a mãe pode procurar a unidade de saúde de atenção básica. Em casos mais graves, quando há vômitos e diarreia incontroláveis, deve vir ao hospital para ser diagnosticado e medicado. O tratamento basicamente é com soro e dar continuidade em casa com soro caseiro. É sempre bom procurar orientação médica e jamais se automedicar”, afirma Dr. Sandra.

Mas o melhor caminho é a prevenção. Então, dê preferência à água de coco, picolé da fruta, milho verde cozido. Evite churrasquinho, queijo, alimentos que contenham maionese. E se for levar de casa, o que é o mais indicado, certifique-se de que estão armazenados sob refrigeração recomendada. “Vamos curtir a praia, as férias, o verão com saúde, com qualidade”, finaliza a pediatra.

Fonte: assessoria HFA.