Durante Audiência Pública para discutir o transporte coletivo de Guarapari, o presidente da Câmara Municipal, Wendel Lima, se dirigiu a tribuna e criticou fortemente a gestão da empresa. Entre várias críticas, ele disse que a empresa pedir para os funcionários voltarem a trabalhar com salários atrasados é chantagem barata.

“a Lorenzutti alega não ter faturado o suficiente para cumprir o acordo que fez com os funcionários e, por isso, está pedindo que todos voltem ao trabalho imediatamente, antes de receberem o que têm direito. Mas ninguém acredita nesta possibilidade”

Chantagem barata. Segundo Wendel. “Na audiência realizada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a Expresso Lorenzutti firmou o acordo de efetuar o pagamento semanal de 60% de toda a receita apurada pelo sistema durante a semana, mas afirma que, para conseguir cumprir este compromisso com a categoria, os motoristas e cobradores têm que voltar a trabalhar. Isso é chantagem barata. A empresa já recebeu ajuda do município para manter o vale-alimentação dos funcionários em dia, mas não fez isso. Também teve outras oportunidades para regularizar sua situação, anteriormente, mas não o fez. Agora, a Lorenzutti alega não ter faturado o suficiente para cumprir o acordo que fez com os funcionários e, por isso, está pedindo que todos voltem ao trabalho imediatamente, antes de receberem o que têm direito. Mas ninguém acredita nesta possibilidade, depois de tantos engodos”, explicou para a imprensa.

Dificuldades. Ainda de acordo com ele. “Na verdade, esta empresa parece só se interessar em obter lucro, mesmo às custas do sofrimento de seus motoristas e cobradores, que só receberam o salário de abril, mas ainda não receberam a parcela do acordo referente ao mês de maio e nem os 50% dos salários do mês de março, que são relativos aos dias paralisados. Tal situação indica que a Expresso Lorenzutti está fazendo, sim, uma chantagem barata com seus funcionários, enquanto a maioria deles enfrenta grandes dificuldades para sobreviver e conseguir chegar ao trabalho, pois alguns já estão até passando fome”, pontuou.

Prefeito. Ele ainda pediu a manifestação do prefeito. “Precisamos que o prefeito Edson Magalhães se manifeste imediatamente e tome uma decisão para resolver esta situação de uma vez: ou ajuda a empresa a se recuperar para pagar os funcionários e regularizar sua situação, ou rescinde o contrato de concessão e realiza outra licitação. O que não pode é deixar que esta situação perdure ainda mais. O povo e os funcionários da empresa precisam de providências efetivas. Ninguém merece continuar convivendo com um absurdo como este”, finalizou

Deixe seu comentário