Sobe para VINTE E UM o número de vítimas fatais em decorrência da intensa e prolongada chuva que ocorre em praticamente todo estado do Espírito Santo. São Quatro em Baixo Guandu, uma em Barra de São Francisco, Seis em Colatina, uma em Domingos Martins, Oito em Itaguaçú e uma em Nova Venécia.

A maior cheia da história do rio Doce foi em 1997, quando o manancial ultrapassou a cota de 8,7 metros. Em Colatina, a cota de inundação do rio Doce é de 5,2 metros. "Em outras palavras, ao atingir este nível, o rio transborda e pode inundar vários pontos da cidade", disse Ramos.
A maior cheia da história do rio Doce foi em 1997, quando o manancial ultrapassou a cota de 8,7 metros. Em Colatina, a cota de inundação do rio Doce é de 5,2 metros. “Em outras palavras, ao atingir este nível, o rio transborda e pode inundar vários pontos da cidade”, disse Ramos.

Em algumas cidades, pessoas que estavam desalojados, estão retornando para sua casas. O levantamento das pessoas afetadas continua prejudicado pela dificuldade de acesso a muitas localidades, algumas totalmente isoladas pela intensa inundação, sem comunicação, água potável e energia elétrica. O número de pessoas que ainda estão em abrigos ou casas de parentes e amigos em decorrência das chuvas é de 48.601. Destas, 4.565 pessoas foram acolhidas em abrigos e 44.036 estão em casas de parentes e amigos.

Subiu para 50 o numero de municípios mais afetados e são eles: Afonso Claudio, Água Doce do Norte, Águia Branca, Alto Rio Novo, Aracruz, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Colatina, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Ecoporanga, Fundão, Governador Lindemberg, Guarapari, Ibatiba, Ibiraçu, Itaguaçu, Itarana, Jeronimo Monteiro, João Neiva, Laranja da Terra, Linhares, Mantenópolis, Marechal Floriano, Muniz Freire, Nova Venécia, Pancas, Rio Bananal, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São Mateus, São Roque do Canaã, Serra, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Pavão, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

 

 

As informações indicam que já foram registrados acúmulos de chuva com volume superior a 700 milímetros desde o início do mês de dezembro em alguns municípios do Estado. "O solo já está muito encharcado, e a continuidade da chuva só agrava os impactos", disse Hugo Ramos, meteorologista do Incaper.
As informações indicam que já foram registrados acúmulos de chuva com volume superior a 700 milímetros desde o início do mês de dezembro em alguns municípios do Estado. “O solo já está muito encharcado, e a continuidade da chuva só agrava os impactos”, disse Hugo Ramos, meteorologista do Incaper.

 Nomes foram divulgados

 

BAIXO GUANDU – 4 Mortes

Tatiane Lelis (15 anos, soterramento)

Júlio César Cleto (19 anos, soterramento, PROCURANDO)

Leonides Aparecida Dias Rodrigues (40 anos, mulher, afogamento)

Daniel Cleto (3 anos, soterramento)

 

BARRA DE SÃO FRANCISCO – 1 Morte

Mike de Oliveira (17 anos, afogamento) dia 24.12

 

COLATINA – 6 Mortes

André Luiz Ribeiro (40 anos, soterramento) dia 18

Berenice Bueno dos Reis (soterramento) dia 19

Regiane Pereira Rocha (35 anos, soterramento) dia 24

Wilian Belarmelia (soterramento) dia 25

Mulher dia 25

Criança mulher dia 25

 

DOMINGOS MARTINS – 1 Morte

Julio César Santos Boning (22 anos, soterramento)

 

ITAGUAÇU – 8 Mortes

Odilha Marcelino Borges (72 anos, soterramento)

Claudine Paixão (20 anos, soterramento)

João Pedro Paixão (01 ano, soterramento)

Nezinaldo Valti (45 anos, eletrocutado)

Helena Damasceno Passamani (59 anos, infarto)

Maria da Penha Silva (57 anos, soterramento)

 

NOVA VENÉCIA – 1 Morte

Eugênio Azevedo Cesana (63 anos, afogamento)

 

O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnicas e Extensão Rural (Incaper) informou que as fortes chuvas que há mais de uma semana atingem o Estado já são as maiores enfrentadas, desde que começaram as medições meteorológicas no Espírito Santo, há 90 anos.
O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnicas e Extensão Rural (Incaper) informou que as fortes chuvas que há mais de uma semana atingem o Estado já são as maiores enfrentadas, desde que começaram as medições meteorológicas no Espírito Santo, há 90 anos.

A Secretaria Nacional de Defesa Civil continua enviando alertas de Risco de inundação e deslizamento de terra nas regiões com mais chuvas. Os coordenadores de Defesa Civil dos municípios foram informados acerca dos procedimentos de avaliação contínua dessas áreas e, caso necessário, evacuação emergencial.

 

Deixe seu comentário