A eleição para os conselheiros tutelares que ocuparão o cargo nos próximos quatro anos em Guarapari terminou hoje por volta das 20 horas. Foram 2.366 votos válidos computados entre os 18 candidatos que disputaram este segundo pelito.

Apuração dos votos terminou às 20 horas. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Apuração dos votos terminou às 20 horas. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Ao contrário do que aconteceu na última eleição, que acabou sendo impugnada, nenhum problema sério foi registrado nas 9 horas em que as urnas estiveram disponíveis. As cédulas de votação também foram suficientes.

O eleitor poderia votar em até cinco candidatos. No final da apuração, os cinco conselheiros com maior número de votos foram: Samara Ribeiro Garcia, com 265 votos, Elaine Mendes Parreiras Terra, com 225 votos, Débora Wilselene Ferreira recebeu 219 votos e Zoraya de Fátima Brumesse consegui 207 votos. Lídia Simões Duarte ficou com 194 votos.

Os novos conselheiros assumem o cargo no dia 10 de Janeiro. Os recursos serão recebidos

Foram 18 candidatos e cinco eleitos num total de quase 2400 votos. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Foram 18 candidatos e cinco eleitos num total de quase 2400 votos. Foto: João Thomazelli/Portal 27

até o dia 11 de novembro. O resultado final da eleição será publicado amanhã no site da Prefeitura de Guarapari.

“Apesar de muitas pessoas terem desistido de votar por causa do deslocamento, já que a votação foi realizada em apenas um local, o andamento da votação foi bom e não tivemos incidentes”, contou o promotor de Justiça Alex Rodrigues Caiado, da Infância e Juventude.

Célia Cristina da Silva, presidente do Conselho Municipal de Proteção à Criança e ao Adolescente, elogiou o andamento desta segunda votação. “Tudo com planejamento e equipe funciona melhor. Desta vez tivemos isso e deu tudo certo”, concluiu.

Apesar da votação ter transcorrido sem maiores problemas, quem sofreu foram os voluntários que trabalharam no pleito. Eles ficaram sem água potável para beber na maior parte do dia. Nos bebedouros, ou a água estava quente ou saía apenas um filete de água. Também faltaram copos descartáveis.

Outro problema foi na hora da apuração dos votos. Conselheiros, candidatos, promotor de Justiça e imprensa, representada no local pelo Portal 27, todos tiveram que ficar em um auditório com três aparelhos de ar condicionados que não funcionavam. Por causa do calor intenso, várias pessoas desistiram de acompanhar a apuração e foram embora.

Deixe seu comentário