O caso em que o Comandante Geral da PM do Espírito Santo, Douglas Caus, teria supostamente agredido a esposa, foi esclarecido na tarde de hoje (44). Em coletiva de imprensa na tarde de hoje ele negou os fatos e falou que vai processar quem divulgou as informações.

De acordo com o coronel. “A pessoa que vazou essa foto tem prática de crime, e também caberá sanção administrativa, se for funcionário público. E cabe também processo por dano moral, que certamente sendo identificado, vou mover contra essa pessoa porque a minha imagem foi exposta”, disse ele na coletiva.

E cabe também processo por dano moral, que certamente sendo identificado, vou mover contra essa pessoa porque a minha imagem foi exposta”, disse ele na coletiva.

Ainda segundo o comandante. “Não é verdade, não houve agressão e sim discussão a respeito de alguns assuntos da nossa vida intima, principalmente no que tange a minha dedicação à Polícia Militar. Isso causa um desgaste físico em mim, automaticamente reconheci para minha esposa que tenho ficado ausente do ambiente familiar e ela me cobra isso”, falou.

Esposa. Em entrevista ao jornal Online Folha Vitória, a esposa do comandante, Renata Caus, de 46 anos, afirmou que não houve agressão e que tudo não passou de um mal-entendido.

“Não houve agressão em momento algum! Ontem eu amanheci com uma angústia. Estava totalmente dependente de atenção, queria carinho, queria ele junto comigo, queria atenção do meu marido, mas ele chegou do trabalho e queria sair. Com isso, eu disse que ele não ia, tranquei a porta e fiquei segurando a chave, então começamos a discutir. Meu filho de 20 anos ouviu e ligou para a polícia ir lá, no intuito de me acalmar e de pedir para o pai não sair. Quando o meu interfone tocou, eu tomei um susto! Nisso, ele (comandante), já tinha ido para a rua, então o meu filho saiu do quarto e disse que ele tinha chamado a polícia”, afirmou ela ao Folha Vitória.