Guarapari está sem água! Esta constatação já foi feita por moradores de vários bairros da cidade após o Natal. A falta de água tratada na cidade não é novidade neste período do ano, mas 2015 começou com o abastecimento crítico.

Alguns bairros da cidade estão sem receber água há pelo menos quatro dias. Hoje pela manhã, moradores do Bairro Elza Nader fecharam a Rodovia do Sol em protesto à falta de água. (Veja)

Em alguns pontos do bairro, a água não chega há oito dias. Além do Bairro Elza Nader, Ipiranga, Aeroporto, Praia do Morro, Setiba e Meaípe, são alguns dos bairros onde a água não está chegando.

A Falta de Água
Água nas torneiras é cena rara em alguns bairros da cidade. Foto Wilcler Lopes.

Marcos Oliveira, gestor do sistema de abastecimento de água da Cesan em Guarapari, informou à reportagem do Portal 27 que a cidade passa por um rodízio de abastecimento. “O Rio Jabuti e Conceição, que abastecem a cidade estão praticamente secos por causa da falta de chuva dos últimos meses. Se não fosse pela captação do rio Benevente, em Anchieta, a situação seria muito pior”, explicou Oliveira.

Oliveira disse ainda que o nível ideal de vazão da água para o abastecimento da cidade sem problemas seria de 700 litros por segundo, mas por causa da falta de chuva a empresa está operando com apenas 540 litros por segundo.

Rodízio. Por isso, bairros como o Elza Nader, que fica no extremo da rede de abastecimento sofrem mais com a falta de água. “A situação só deve se normalizar em meados da semana que vem, quando o número de turistas diminui na cidade. Enquanto isso, o abastecimento vai ser feito em forma de rodízio. Hoje, por exemplo, teremos que suspender o abastecimento no Bairro Meaípe, para suprir a falta de água em outros bairros”, contou Marcos Oliveira.

Trânsito em Meaípe
Bairro Meaípe será o “sorteado” hoje com a suspensão do abastecimento. Foto Wilcler Lopes

Marcos finalizou dizendo que apenas a chuva pode resolver o problema de abastecimento de água neste verão em Guarapari. Enquanto a chuva não vem e os turistas não voltam para suas cidades, a população e os visitantes sofrem com a falta de abastecimento.

O radialista Jeferson Prado, que é morador do Bairro Ipiranga, contou que só conseguiu falar com a Cesan depois de 39 tentativas. “Eu consegui falar com eles hoje a 1h30 da manhã. A atendente disse que não existe previsão para melhorar o abastecimento tão cedo. Ela disse que só depois do dia seis as coisas vão começar a melhorar”, contou Jeferson.

Deixe seu comentário