Em apenas quatro dias dois macacos da espécie Sagui foram encontrados mortos na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Concha D’ostra. Segundo o Centro de Controle de Zoonoeses (CCZ) de Guarapari, este ano apenas estas duas mortes de macacos foram registradas no município, mas em 2017 foram aproximadamente 30.

O primeiro animal foi encontrado morto no último sábado (20) e teve seu material coletado para a realização de uma investigação sobre uma possível ligação da morte com o vírus da febre amarela. Já o segundo foi localizado nesta terça-feira (23), porém, estava em avançado estado de decomposição e por isso, não foi possível realizar a coleta de material.  

Uma investigação será realizada para verificar se a morte do macaco que não estava em decomposição tem relação com o vírus da febre amarela.

Em nota encaminhada a nossa redação a prefeitura disse que “O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) esteve no local e recolheu dois animais para verificação. O animal que não estava em decomposição foi encaminhamento ao Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (LACEN/ES) e posteriormente será encaminhado para um laboratório em São Paulo para análise, já que no Estado ela não é realizada.  A causa da morte só poderá ser determinada após laudo”, explica a nota da prefeitura.

Mesmo que seja confirmada a febre amarela no animal morto, a população deve lembrar que os macacos não transmitem a doença. Eles fazem parte do ciclo silvestre da febre amarela e assim como os humanos são vítimas dela. Portanto, não devem ser assassinados por pessoas com medo de contágio da enfermidade.  

Cobertura. Segundo a prefeitura, 78.63 % da população de Guarapari está imunizada.  De acordo a Secretaria de Estado de Saúde do Espírito Santo (Sesa), não há transmissão ativa da doença no Estado. Isso se deve à cobertura vacinal realizada aqui. 3.561.000 doses da vacina foram distribuídas.

Uma cobertura vacinal de 85,71% da população capixaba. Considerando o histórico de vacinação do Estado desde 1994, no Espírito Santo estão vacinadas um total de 3.398.144 pessoas, correspondendo a 94,97% de cobertura vacinal.

A administração municipal ressalta que “ao identificar qualquer macaco morto a população deve acionar imediatamente o CCZ através dos números (27) 3262-1456 ou 3262-1271. Até o momento não há confirmação de macacos infectados com vírus da febre amarela silvestre”