Os áudios que circularam pelos grupos de WhatsApp e onde haveria pedido de propina do vereador Dito Xaréu (SDD), e que posteriormente levaram a cassação do mesmo, são comprovadamente dele.  A prova é da conclusão do Laudo Pericial da Polícia Civil do Estado, ao qual o Portal 27 teve acesso.

Sem cortes. A conclusão dos dois peritos que analisaram os 4 CDs com áudios e vídeos do vereador é que não existem edições. De acordo com o laudo “Durante a realização dos exames não foram encontrados, nos respectivos arquivos de áudio e vídeo, cortes ou edições fraudulentas. Na análise das imagens, os peritos utilizaram-se do método comparativo de quadros adjacentes, onde se verificou a possível ocorrência de adição ou subtração de elementos formadores dos quadros, como imagens das pessoas e objetos, presença de luz, reflexos e sombras, entre outros, além das análises de granulação, contraste, brilho e o continuísmo das cenas. A análise perceptiva não mostrou nenhuma descontinuidade nos sinais de áudio gravações, assim como a análise da coerência contextual não mostrou nenhum fato relevante sugestivo de adição, supressão ou sobreposição de trechos”.

A conclusão dos dois peritos que analisaram os 4 CDs com áudios e vídeos do vereador é que não existem edições.

CPI. Como vazamento dos áudios e a forte suspeita de pedidos de propina, uma CPI foi aberta e o vereador foi afastado pelo colegas no dia 14 de novembro de 2019. Foram  12 votos favoráveis, 3 abstenções de Wendel Lima, Sandro Bigossi e kamila Rocha.  A vereadora Rosângela Loyola passou mal pouco antes do momento da votação.

Justiça mandou voltar. O parlamentar teve seu mandato cassado e perdeu os direitos políticos por oito anos. O vereador recorreu a justiça, e o juiz Gustavo Marçal da Silva e Silva, aceitou, mandou o vereador ser reintegrado e afirmou que faltou a perícia dos áudios de WhatsApp.

“Daí a gravidade da supressão probatória imposta pela comissão ao requerente – sob fundamento interpretativo de convencimento quanto ao mérito da acusação -, com privação do direito de realização da prova pericial dos áudios, conectada a última à garantia constitucional da ampla defesa e ao direito de evidenciação da inexistência dos motivos invocados para a cassação ou da própria inocorrência da autoria objeto da imputação”

Resultado. Agora o resultado saiu. O Laudo de várias páginas é extremamente técnico e em outro trecho conclui que “Consideradas a relevância (raridade) e a recorrência (Frequência) das convergências encontradas nas comparações realizadas entre os materiais questionado e padrão, os peritos concluem que o resultado obtido (evidência) suporta muito fortemente a hipótese do locutor identificado nas imagens aditivas dos arquivos de vídeo como “vereador Dito Xaréu” ser a fonte das falas questionadas do que na hipótese de ele não ser, correspondendo ao nível de +4 da escala apresentada na subseção IV.1, cuja faixa varia de -4 a +4”, diz uma das conclusões do Laudo.

O Laudo cita ainda outras comprovações técnicas que reforçam que é uma voz característica e única do vereador Dito Xaréu.

Respostas. O Portal 27 entrou em contato com defesa do vereador Dito, através do advogado Marcos Bitencourt,  para que ele se manifestasse sobre o assunto, mas até o fechamento desta matéria ele não atendeu as nossas ligações.

Portal 27 recebeu alguns desses áudios durante todo o caso e  você pode conferir abaixo.