Dentro do pacote de medidas que foi proposto em reunião na Prefeitura de Guarapari, envolvendo Secretários Municipais, representantes de diversos setores da sociedade, Polícias Civil e Militar, Sindiupes, Comseg, Comsep, Vara da Infância e Diretores de Escolas Municipais, a “Patrulha Escolar” já vem realizando rondas nas proximidades das escolas e regiões detectadas como de maior risco no município.

Os detalhes de abordagem da ação estão sendo discutidos um a um entre as Polícias e a Secretaria de Educação, visando garantir mais segurança, sem gerar desconforto aos que porventura venham a ser abordados nas rondas. “É muito importante que a comunidade saiba que existe um patrulhamento orientado em sua região e que, vez ou outra, alunos poderão ser abordados. Isso faz parte do trabalho de segurança de todos”, afirmou o Major Rubim, do 10º BPM de Guarapari.

patrulha escolar
Segurança especialmente para as escolas públicas e particulares no município de Guarapari. Foto: SEMED

Além desta medida, várias outras propostas apresentadas estão em análise e implantação, no sentido de diminuir a violência interna e externa na escola, e propor estratégias preventivas dentro do ambiente escolar.

Cmeja
Funcionários da escola foram ameaçados pelos alunos em 2014, e na época pediram mais segurança para trabalhar.

Na ocasião, diretores e professores relataram casos de comportamento abusivo de alguns estudantes. Em todos os relatos, no entanto, eles fizeram questão de frisar que tais atos são cometidos por um pequeno grupo de alunos. “A maioria vem para a escola com o intuito de aprender, de ser alguém na vida. Mas, infelizmente, existe um grupo restrito que vê a escola como local de baderna. Esses acabam atrapalhando aqueles que querem estudar de verdade”, relatou o diretor do CMEJA.

Foi debatida a necessidade da construção coletiva de um conjunto de normas ou regras que devem ser seguidas dentro do ambiente escolar. Essas normas terão como finalidade coibir comportamentos abusivos, que podem, em casos mais graves, gerar violência.

Propostas apresentadas. O Comando da Policia Militar apresentou o Projeto “Patrulha Escolar”, um projeto piloto, onde 04 policiais uniformizados, em viatura caracterizada, terão a missão específica de fazer visita às 37 escolas urbanas do município, de segunda a sexta-feira. Durante as 02 primeiras semanas, será realizado um diagnóstico em todas as escolas, principalmente apontando aquelas que apresentam uma necessidade maior de segurança, aquelas que têm mais problemas tanto interna quanto externamente.

A segunda proposta foi do Secretário Danilo Basto, sugerindo a criação do “Protocolo Padrão de Procedimento”, que orienta sobre quando e onde recorrer em cada situação. A terceira proposta foi colocada pelo Diretor Glauner, complementando a proposta do Secretário de Desenvolvimento, sugerindo que, além dos protocolos, sejam criados formulários internos de ocorrências, para que seja criado um banco de dados dos incidentes em ambientes escolar. A quarta proposta que foi apresentada foi o fortalecimento da “Escola de Pais”, projeto que vigora em várias escolas do município, e que receberá apoio da Vara da Infância e de todas as instituições representadas na reunião.

A quinta proposta foi apresentada pela Comissária de Justiça Liliane Roseli – Vara da Infância, sugerindo que que seja criada a “Justiça Mediadora”, que consiste em um conselho composto por profissionais da educação, agentes sociais, conselho da criança e ministério público. Liliane ainda propôs que fosse estudado o Case de Sucesso da escola “Dom Elder Camará” em Jacaraípe – ES, escola que venceu um estado de violência interna e externa.

Depois de ouvir relatos e as propostas dos participantes, a Secretária de Educação, Diana Márgara, afirmou que “quando decisões são tomadas em grupo, costumam ganhar mais respaldo e aceitação. Vamos ter que dividir a tomada de decisões com a família e com a comunidade”.

A próxima reunião está marcada para o dia 20 de agosto, onde será dada continuidade ao processo de construção coletiva, a partir dos dados coletados, principalmente, do relatório da “Patrulha da Escola”, da Policia Militar. O objetivo principal deste grupo é trabalhar em prol de um ensino livre de violência.

Deixe seu comentário