Banner TOP
JB Padrão

Guarapari é uma cidade com uma história muito rica. Com isso, pontos turísticos históricos se destacam. Para quem visita o município achando que só vai encontrar praias, está enganado. Basta andar um pouco para ver que as belezas naturais se contrastam de forma harmoniosa com a cultura local.

Radium Hotel

O Radium Hotel começou a ser construído em 1947 e o objetivo era que a edificação se tornasse uma Escola Naval.  O prédio possui, inclusive, o formato de uma âncora. Ele fica localizado em frente à Praia da Areia Preta, no Centro da cidade, e ocupa uma área de 10.000 metros.

Devido a sua localização privilegiada e a beleza da paisagem, uma empresa acabou arrendando o local e o transformou em um cassino de padrão internacional. A inauguração aconteceu em dezembro de 1953. Logo em sua abertura, o Radium Hotel foi considerado um dos hotéis cassino mais chiques do país.

Em 1964, os jogos passaram a ser proibidos no país e o hotel entrou em decadência e depois foi tombado como patrimônio histórico afetivo. Por muito tempo, o espaço ficou abandonado. Em 1990, o Conselho Estadual da Cultura formou uma comissão para avaliar a situação do lugar e a partir de 1998 o Radium Hotel passou a ser protegido.

Hoje, sua administração é de responsabilidade do Governo do Estado do Espírito Santo. De vez enquanto, o espaço recebe algum evento.

Gruta de Sant’ana

Conhecida também como Grutinha, a Gruta de Sant’ana fica localizada no fim da subida do Morro da Igreja, pela Ladeira Don João Cavati. Ela foi construída em 1942. Nela, existia a imagem da primeira padroeira de Guarapari, Santa Ana, e de Nossa Senhora Menina. Hoje ela se encontra em um museu de Anchieta.

Na parte externa da gruta, que foi feita de pedras, existia uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes e Bernadete, que hoje está no museu da antiga Matriz. Abandona e em ruinas por alguns anos, a gruta foi restaurada e entregue a comunidade em 1991. Sua última reforma foi feita em 2003. Hoje, em seu interior pode-se admirar um quadro de Sant’Ana, a primeira padroeira de Guarapari, e N. Srª Menina. Do lado de fora, no alto da Gruta, está a imagem de Nossa Senhora de Lourdes.

Casa da Cultura

Hoje em dia, a Casa da Cultura é utiliza como espaço que oferece informações turísticas e onde são feitas algumas exposições. O espaço, porém, já foi sede da Prefeitura, Câmara de Vereadores e Cadeia Pública. Não se sabe ao certo a data de construção do prédio, mas acredita-se que ele foi construído por volta de 1830.

Em 1882, foi feita a primeira reforma e em 1927 a fachada, que antes era lisa e simples, ganhou arabescos.  Durante a administração do prefeito Pedro Ramos (1967-1971), o local foi abandonado e ficou em péssimo estado. Sem os cuidados necessários ele acabou ruindo. No fim de 1988, a Casa foi reconstruída, quando as paredes do fundo e as divisórias foram derrubadas por um trator, restando somente as paredes laterais e a fachada. Com a descaracterização, o monumento perdeu seu valor histórico e pode ser tombado apenas como Patrimônio Afetivo do Município.

Ruinas da Igreja

Construída em 1677, por ordem do donatário Francisco Gil de Araújo, a igreja, onde hoje ficam as ruínas, foi dedicada à Santa Virgem Nossa Senhora da Conceição, sofreu um incêndio, que impediu que ela fosse terminada.  Hoje, restam apenas o Frontis, todo esburacado, a Ruína e o Campanário – reconstrução de 1817.

Ela foi edificada com pedras sobrepostas, unidas por uma massa feita de barro, areia, conchas trituradas e óleo de baleia. As ruínas chegaram a ser utilizadas como cemitério, no meio do século, como horta, pelos alunos da primeira escola da cidade, e como cadeia. Em 1989, foi tombada pelo Conselho Estadual de Cultura.

Fonte dos Jesuítas

Os jesuítas construíram diversos poções ao redor do Morro do Atalaia para poder captar água. De todos, o único que sobrou é o que chamamos hoje de Fonte dos Jesuítas. Ele foi construído em meados do século VXI em formato de cúpula. Foram utilizadas na construção pedras sobrepostas, unidas por uma argamassa feita de barro, areia, conchas trituradas e óleo de baleia.

Lá, existe uma nascente de água potável, com uns 40 centímetros de profundidade, o excesso escorre nas pedras. Naquela época, lavadeiras e grande parte da população utilizavam a água para cozinhar, lavar roupas, louças e tomar banho. Isso só mudou com a chegada da CESAN na cidade. As ruas que chegam até o local onde ela fica localizada são conhecidas como Caminho da Fonte, e a pequena praia ao lado recebe o nome de Praia da Fonte.

Igreja Velha

A Igreja Velha foi construída em 1985 pelo padre José de Anchieta. Ela está localizada no alto de uma colina. Foi ela que deu início ao povoamento de Guarapari e é considerada o marco de fundação da cidade. Ela Foi erguida, possivelmente, sob a invocação de Santa Ana e do Sagrado Coração de Jesus ou também de Santa Maria, após quase 170 anos, passou a homenagear Nossa Senhora da Conceição.

A igreja já foi bastante modificada desde sua inauguração. Em 1751, foi ampliada e reedificada pelo padre Antônio Siqueira de Quintal, que a transformou em matriz e mudou o nome da padroeira para Nossa Senhora da Conceição. Seu frontão comum e triangular recebeu revestimento neobarroco do século XVIII no ano de 1878. Na década de 70, foi registrada no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. O telhado foi restaurado e dois altares laterais, que não eram originais, foram retirados.

Em 82, foi feita a última reforma. As paredes receberam um novo reboco e foram pintadas de cal. O chão foi trocado por um piso vitrificado moderno. A porta central foi restaurada e as portas laterais foram trocadas. O revestimento de conchas que cobriam a parte interna foi retirado. Portas e janelas foram acrescentadas à fachada original. As colunas que eram de madeira foram substituídas por colunas de alvenaria.

Uma casa particular foi construída no terreno onde ficava a residência dos jesuítas, mas hoje apenas seus alicerces estão no local. Como recordação do espaço, foi feito um desenho em azulejos do prédio do convento-residência na parede direita externa da igreja. Atualmente, a sacristia funciona como Museu Sacro, incluindo em seu acervo castiçais, cálices, crucifixos e imagens do século XVIII de várias santas.

Camara Municipal de Guarapari – Participe
Banner Marcelo
Institucional Basic Idiomas

Institucional MAllagutti

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here