Na tarde desta quarta-feira (30), a Secretaria Municipal de Saúde apresentou no plenário da Câmara o Plano Municipal de Saúde, que define as diretrizes e metas à serem seguidas de 2018 a 2021. Foram apresentados estudos feitos em 2015 e 2016 que basearam as metas que a secretaria precisa cumprir nesse período.

Fizeram parte da mesa, vereadoras que fazem parte da comissão de saúde, Fernanda Mazzelli e Kamila Rocha; o vice-prefeito, Michel Agrizzi, representando o poder executivo, a secretária de Saúde. Alessandra Gaigher e membros do Conselho Municipal de Saúde. Foto: Cecília Rodrigues.

Diretrizes como a construção, reforma e ampliação de unidades; construção do Hospital Maternidade; manter distribuição de medicamentos da REMUME; redução na mortalidade da população entre 30 e 69 anos; redução na incidência dos casos de Aids e Sífilis congênita no município; entre várias outras ações que a que a secretaria deve seguir nos próximos anos.

“Esses planos são todos feitos na questão ambulatorial, são prevenções. Nós programamos as metas, ações e executamos durante 4 anos. Elas são divididas em ação e metas anualmente. Então não são trabalhos de urgência e emergência, são trabalhos preventivos e ambulatoriais”, disse a Secretária de Saúde, Alessandra Gaigher, sobre o Plano Municipal de Saúde.

Sobre o cumprimento dessas metas, a secretária está esperançosa que o município consiga alcançá-las.  “No Plano Municipal de Saúde de 2015 a 2018 conseguimos cumprir 90% das diretrizes, o que não foi cumprido foi repactuado para esse de 2018. Acredito que vamos nos manter nessa média. O objetivo é sempre cumprir”, afirma.

O Plano Municipal de Saúde 2018-2021 ficará disponível na íntegra no site da Prefeitura.

16 membros do Conselho Municipal de Saúde, que vão atuar até 2021, foram empossados na cerimônia. Foto: Cecília Rodrigues.

Posse. No evento, também foi dada posse aos 16 membros do Conselho Municipal de Saúde, que vão atuar até 2021. O conselheiro, Mansur Cadais Filho, que é membro há mais de 10 anos, fala que o conselho é uma importante ferramenta da saúde municipal.

“É importante a participação da sociedade civil em todos os conselhos de políticas públicas, porque traz para as gestões do segmento o olhar dos usuários. Muitas vezes a gestão pode vir a ter boas intenções em relação a implementação de boas ações, mas só quem está na base é quem sabe o que povo necessita de fato, ter o olhar do ocorre na base, para trazer para o plenário do conselho, para haver o debate e estar construindo propostas de políticas públicas”, comenta.

Mansur ressalta que os membros do conselho precisam se dedicar para atuar em prol da saúde de Guarapari. “Os conselheiros que se dispuseram a participar, devem estudar, ler, se empoderar das informações, dos seus direitos, saber que ele não se atrelar a gestão nenhuma, que os poderes são independentes, para assim realizar um bom trabalho”, conta Mansur.

A população pode participar das reuniões do Conselho Municipal de Saúde, que acontecem nas primeiras quintas-feiras do mês, às 14h, na sala do conselho, na sede Secretaria de Saúde, que fica na Rua Adamastor Antônio da Silva, em Muquiçaba.

Deixe seu comentário

Comments are closed.