Na noite de ontem (27), o Portal 27 recebeu uma sequência de fotos com a denúncia de que a diretora de uma escola da rede municipal estaria desviando merenda escolar. Nas fotos é possível ver, o que de acordo com denunciante, seria o entregador de hortaliças colocando alguns produtos dentro do porta malas do veículo da diretora.

Na sequência e otos, o entregador supostamente coloca algo no portal malas do carro de uma mulher.
Na sequência de fotos, o entregador supostamente coloca algo no porta malas do carro de uma mulher.

Diante das fotos e da denúncia, o Portal 27 começou a apurar as informações e a primeira pessoa que procuramos foi a diretora da Escola Maria Ramalhete Correa, Rita Lyra, que seria a pessoa nas fotos.

Ao ser informada sobre a denúncia, a diretora da escola mal acreditou. “Não acredito nisso. Sempre que os meninos do caminhão vêm entregar hortaliças aqui, eles deixam algumas coisas como presente. Há anos que sou diretora desta escola e nunca fui acusada de nada parecido! Isto está acontecendo porque é período eleitoral e tem pessoas que querem meu cargo. Por isso inventam este tipo de coisa”, explicou a diretora.

Imediatamente a diretora buscou a nota de entrega da cooperativa que faz a entrega na escola e tentou ligar para os números, mas não conseguiu localizar as pessoas que fizeram a entrega na última terça-feira.

Durante a entrevista, a diretora fez questão de chamar vários profissionais que trabalham com ela para atestar a veracidade do fato. O segurança da escola, auxiliares de serviços gerais e professores fizeram questão de confirmar o caráter da diretora e até posaram para uma foto, em forma de confirmar seu trabalho correto à frente da escola.

Os professores e funcionários posaram com a diretora confirmando a versão de que as hortaliças foram presenteadas. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Os professores e funcionários posaram com a diretora confirmando a versão de que as hortaliças foram presenteadas. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Secretaria

Procurada por nossa reportagem, a Secretária de Educação, Diana Margara, informou que vai verificar os fatos, buscando informações junto à empresa que faz a entrega das hortaliças e também com a diretora que recebeu a mercadoria. Verificado qualquer tipo de irregularidade, as medidas administrativas cabíveis serão tomadas.

Defesa

A diretora, solicitou ainda ao Portal 27, através de um advogado que a representa para que fosse colocada uma nota junto a essa reportagem, para que não ficassem mal entendidos sobre o caso. Abaixo, segue a íntegra da nota oficial feita pelo advogado da diretora, para explicar o fato:

“Em relação a suposta denúncia feita ao Portal 27, de desvio de merenda na EMEF Maria Ramalhete Corrêa, na pessoa da diretora Rita Lyra, mediante às fotos enviadas a edição de reportagens, venho mitigar o imbróglio levantado.

A empresa da qual faz a devida entrega das hortaliças à escola, trata-se de uma empresa terceirizada, onde sempre no momento da devida entrega, quando a diretora encontra-se nas dependências da escola, a mesma (empresa de entrega), faz alguns agrados com algumas hortaliças, não tirando nenhum item da entrega ora encomendada, mais sim, alguns produtos que sempre sobram no caminhão para um agrado à diretora pelo tratamento sempre prestado a equipe terceirizada.

Comprovando conforme as fotos, que, as mercadorias não saem da escola, são transferidas do caminhão de entrega”.

Nota da redação

Após apurar esta reportagem, a equipe do Portal 27 foi chamada novamente a escola onde infelizmente, o nosso jornalista foi confrontado com uma situação no mínimo incômoda. Alguns professores tentaram, sem a anuência da diretora, através de ameaças de processo e de tentativa de diminuição da competência do jornalista, fazer com que a matéria não fosse publicada.

O Portal 27, dentro de sua proposta de jornalismo sério e responsável, não se sujeitou às ameaças e depois de apurar os fatos e o significado das fotos está publicando a reportagem.
Além disso, deixamos claro que entrevistamos todos os atores que tem algum nível de importância nesta reportagem. Os únicos envolvidos diretos que não foram ouvidos são os entregadores da Cooperativa dos Agricultores Familiares Sul Litorânea. Tentamos ligar para os três números listados na nota de entrega que é deixada na escola, mas não tivemos contato.

Comments are closed.