A necessidade de qualificação do turismo em Guarapari começou a ser discutida no final de 2014, após as declarações do prefeito da cidade, Orly Gomes, à rádio CBN Vitória. Desde então, o município ficou conhecido internacionalmente como a cidade que deseja receber ricos. Em entrevista ao portal 27, o secretário municipal de turismo, Adriani Serpa destacou que a fala do prefeito foi propagada de forma errada, já que foi tirado um pequeno trecho de uma longa entrevista.

Serpa
“O povo brasileiro é um povo alegre e de farra, e levou o fato na base da brincadeira”, diz Serpa.

O Secretário afirma que a cidade foi beneficiada com as divulgações nas diferentes mídias, mas a imagem do prefeito ficou prejudicada.  “A cidade acabou sendo beneficiada porque se a gente imaginar aonde isso chegou e graças a Deus, o povo brasileiro é um povo alegre e de farra, e levou o fato na base da brincadeira. Para a imagem da cidade o episódio foi positivo. Mas agora, as pessoas tentam atingir a imagem do prefeito, o que é um erro, já que ele é um gestor público”, assegurou Serpa.

Aeroporto. De acordo com ele, obras de grande porte devem ser implantadas para somar ao turismo de qualidade na cidade. “Obras como o hospital municipal, que já está em fase de lançamento do edital. O projeto de se criar uma terceira ponte, que vai poder desafogar o trânsito também soma na qualificação. As licenças para a construção de um resort nas Três Praias”, destaca.

E para coroar de fato a qualificação do turismo na cidade, segundo Serpa, um grande aeroporto mudaria o perfil do público na cidade. “Com o aeroporto, traríamos todo público de Guarapari, diretamente através do aeroporto, mudando o perfil do público. Na verdade o aeroporto hoje é um aeródromo, para voos particulares, então a ideia é tentar viabilizar o aeroporto de fato para Guarapari”, explicou Serpa.

Aeroporto
Segundo Serpa, um grande aeroporto mudaria o perfil do público na cidade. O atual é apenas um “aeródromo”. Foto: Wilcler Lopes.

Segundo ele, uma cidade melhor para o morador e consequentemente para os visitantes – esse é o lema de trabalho da prefeitura desde 2013, e que deve ser mais bem aplicado neste ano, a partir de algumas ações que serão implantadas.

Melhor arrecadação. Serpa explica que, quando foi dito sobre melhorar a arrecadação do município, é porque o município sofre financeiramente, nos períodos de alta temporada que é um período mais longo e, nos feriados prolongados. Já que para manter a cidade funcionando, é preciso alterar a vida da cidade, para receber 400 mil pessoas em 10 dias.

Reforço. Este ano, o reforço na limpeza pública foi de 150 funcionários, o que gera um custo maior para a cidade. Esclarecendo que além desse custo, há também uma despesa de tonelagem arrecadada, porque o município paga pela tonelagem de lixo que é recolhido. O que antes não passava de 70 toneladas recolhidas diariamente, o município chegou a recolher 190 toneladas em um único dia.

1353347675_314438088_10-pousada-suites-praia-do-morro-Guarapari-ES-
Quase 190 toneladas de lixo foram recolhidas em um único dia durante o verão. Foto: Roberta Bourguignon/Portal27

Ele explica que é preciso realizar o reforço médico nos locais de atendimento de saúde, sendo necessário dar suporte tanto para a população, quanto para aqueles que visitam a cidade nesse período. Reforço da equipe de guarda vidas, que também passa pela administração municipal.

Um conjunto de serviços deve ser ofertado pelo município que tem um grande aumento nesse período. “Por isso, quando dizemos que precisamos melhorar a arrecadação nós não estamos abrindo mão da arrecadação que já existe nós queremos é arrecadar ainda mais”, diz

Menor fluxo. Conseguir minimizar um pouco o fluxo e aumentar a arrecadação, vai ajudar na qualificação do turismo. “É que se você tem um público menor a possibilidade do seu serviço precisa ser melhor. Então quando a gente pensa em qualificar nós temos que começar pela questão de ordenamento”, explica o secretário.

Ordenamento no trânsito – Serpa explica que será implantado o estacionamento rotativo. “Não é para estacionar somente quem tem dinheiro, não é isso. É o ordenamento, porque além de não ter vaga nesse período, nós vemos irregularidades na hora de estacionar, já que muitos acabam parando em portas de garagem, em cima de calçadas, em cima de praças públicas, nos pontos de ônibus, e o próprio usuário fica sacrificado por que eles precisam ficar atrás dos carros, e os ônibus param em via pública. Com a implantação do estacionamento rotativo, as pessoas terão que caminhar um pouco mais na hora de se deslocar no próprio centro”, ressalta Serpa.

Ordenamento dos ambulantes – De acordo com ele, foi preciso realizar um trabalho de organização com os ambulantes da cidade. Agora, ao passar pelas praias da cidade, é possível encontrar um ponto para cada categoria, sendo elas, do jet banana, aluguel de ombrelones e cadeiras, caiaque, e muitos outros. “São ações que, são feitas dentro do município que podem não aparecer, porque isso não é uma ação grandiosa, mas trouxe ordenamento em todas as praias”, diz o secretário, ressaltando ainda que o próximo passo é a uniformização desses ambulantes para que seja possível identificar aqueles que estão de forma irregular na cidade. Os quiosques mais bonitos também fazem parte da qualificação do turismo, a exemplo da Praia do Morro. E falta ainda realizar o ordenamento nas praias da região norte.

rodoshopping
O espaço de estacionamento para ônibus da nova rodoviária da cidade, vai possibilitar realizar a triagem dos veículos que entrarão em Guarapari. Foto: João Thomazelli/ Portal27

Rodoviária. O secretário explica que o terminal rodoviário será uma grande conquista em 2015, que além do espaço para os ônibus intermunicipais e interestaduais, haverá espaço para o estacionamento de 150 ônibus, e com isso, será possível fazer a triagem dos ônibus que entrarão na cidade.

“Isso não será uma medida de retaliação, é uma medida de organização na cidade, para que os ônibus de excursão possam ser parados e ponderados. Uma coisa inédita para Guarapari, mas que já acontece em outros estados no Brasil. Nós precisamos minimizar o impacto desses ônibus nas ruas da cidade, porque eles estão indo para estacionamento e não tem estacionamento e assim o ônibus é colocado em terrenos baldios em vias públicas e a gente acaba não tendo como controlar tudo isso”, explica Serpa.

Ônibus
O ônibus vai receber o selo, vai entrar na cidade para deixar os passageiros e vai seguir para um estacionamento credenciado.

Liberação dos ônibus de excursão.  Segundo ele, ao parar os veículos, os responsáveis deverão informar sobre a reserva na cidade, e se o local de hospedagem estiver regularizado e tiver estacionamento para ônibus, o veículo deve receber um selo e vai poder levar os passageiros e estacionar no local indicado. Caso for para o hotel que não tem estacionamento, o ônibus vai receber o selo, vai entrar na cidade para deixar os passageiros e vai seguir para um estacionamento credenciado.

E se a casa for credenciada será o mesmo procedimento vai levar até a casa e depois vai se deslocar para um estacionamento autorizado, mas se a casa de aluguel não for credenciada esse veículo nem vai entrar na cidade. O ônibus vai ficar estacionado na rodoviária os passageiros vão descer e se deslocar para dentro da cidade no transporte coletivo.

Regularização dos estacionamentos. Todos serão chamados para adequar o estacionamento na prefeitura.

Regularização das casas de aluguel. Quem vai cuidar disto, será a Comissão de Ordenamento e a Sectur faz parte. Os imóveis terão que se adequar conforme as pousadas e hotéis.

Vídeomonitoramento. Será um somatório para as questões de ordenamento almejadas na cidade.

Qualificação da mão de obra. O secretário explica que é preciso qualificar a mão de obra na cidade, e essa qualificação é feita através de parcerias com SEBRAE e SENAI. As secretarias de assistência e de educação devem montar um plano, onde será ofertado a qualificação durante o ano de 2015. Cursos como o de garçom, camareira, comida de buteco, cozinha de frutos do mar, entre outros, foram oferecidos, para poder preparar o profissional para o mercado de trabalho.

Deixe seu comentário