Há dois meses, um vídeo envolvendo uma polêmica com o estacionamento rotativo e uma cobrança indevida viralizou em Guarapari, e na época a empresa Rizzo afirmou que a taxa não seria cobrada mais em ruas sem sinalizações. No entanto, nesta semana, o erro aconteceu outra vez, desta vez com um turista que veio passar uma temporada na cidade e acabou enfrentando problemas com as cobranças indevidas.

O turista é Rafael Câmara, um morador da cidade de Belo Horizonte, que veio visitar Guarapari. O mineiro estava no bairro Centro, quando estacionou na Av. Anchieta, em frente a um hotel famoso da região, e acabou recebendo duas advertências de uma operadora do sistema rotativo. O problema, porém, é que a rua não estava sinalizada e Rafael não poderia ser cobrado.

A rua não tem placa de rotativo no lado direito, apenas no esquerdo, desta forma não pode ser cobrado em frente ao Hotel.

Quando voltou para o veículo e encontrou as advertências, o mineiro tentou conversar com a operadora e explicar a situação, relatando que, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) só pode ser cobrado caso exista uma sinalização vertical e horizontal nos dois lados da rua, mas no local só havia no lado esquerdo, e ele parou no direito.

Mesmo com as explicações a operadora seguiu com a advertência, o que levou Rafael a buscar ajuda no Portal 27, onde já havia lido uma notícia a respeito do assunto, para divulgar o caso, obter explicações e, acima de tudo, conseguir justiça pela cobrança inadequada.

Rotativo para de ser cobrado em rua sem placa informativa em Guarapari – Portal 27

Diante do caso, entramos em contato com Flavio Mello, o responsável pela parte de assessoria de imprensa da empresa Rizzo Parking, que administra o rotativo, e perguntamos sobre a situação e como poderia ser resolvida e impedida de acontecer novamente, visto o último caso do vídeo que viralizou em março.

A operadora realizou duas cobranças de infração.

Na resposta enviada, a empresa confirmou que iria cancelar a cobrança e a chamou de “irregularidade”, afirmando também que se tratou de um erro da funcionária e que reforçará o treinamento dado aos operadores, para que não cometam mais esse tipo de engano. Também aproveitaram para divulgar que ainda estão recebendo currículos, caso alguém esteja interessado.

No entanto, na resposta a empresa também destacou um ponto muito importante, que é a grosseria que muitos funcionários estão sendo tratados, acabando em demissões e precisando ser realizados novos treinamentos constantemente, Flavio reforçou que, caso exista qualquer problema, o indicado é que se procure o canal de atendimento ao cliente e não descontem nos funcionários, que estão apenas realizando o trabalho deles.

Confira a nota:

“Felizmente como o usuário nos procurou em tempo hábil, conseguimos cancelar a irregularidade que ele recebeu. E com isso ele não precisara se preocupar em pagar essa tarifa.

Acontece que esse não é nosso procedimento fiscalizar onde não há sinalização completa e com isso nossa monitora recebera uma advertência por não seguir o treinamento recebido, e reforçaremos também essa treinamento com toda equipe.

Nosso time tem recebido diversas grosserias e insultos na rua diariamente, acabamos tendo alta rotatividade dos nossos funcionários, e com isso acabamos sempre tendo que refazer esses treinamentos, o que já é nossa rotina. Gostaríamos de pedir a oportunidade de pedir desculpa pelo ocorrido e pedir ajuda da população, para que tratem bem nossos meninos, eles são ótimas pessoas.

Completo ainda dizendo que continuamos a captar currículos para aprimorar a equipe rh@grupo-rizzo.com.”

Deixe seu comentário