Vereadores vão investigar preço do gás em Guarapari

7

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (11) a Câmara Municipal aprovou a criação de uma comissão para investigar o preço do gás em Guarapari, que vem sendo alvo de muitas reclamações da população, em virtude dos preços bem mais altos do que em outras cidades.

O vereador Gilmar Pinheiro que é o autor do requerimento que solicita a criação da comissão afirmou que “coloquei o requerimento e vou cobrar do Ministério Público e que se crie realmente uma comissão para estar cobrando dos órgãos competentes que façam isso, que investiguem e cheguem a uma conclusão para dar uma resposta a população”.

O vereador Gilmar Pinheiro é o autor do requerimento que pede a criação da comissão para investigar o preço do gás em Guarapari.

“Eu estou atendendo o anseio da população e o gás, realmente, está muito caro. Mas eu acredito que nós vivemos em um país em que o empresário também sofre. Quando ele se adequa ao sistema ele não está conseguindo pagar e contribuir com os seus impostos como deveria e logicamente tem que aumentar o preço. Isso é uma contrapartida para que os empresários também venham cobrar dos competentes, dos superiores, dos governantes que realmente tem que ser feita uma reforma tributária neste país porque ninguém aguenta mais. Isso sobra para quem? Para população”, disse o vereador.

O parlamentar lembrou da diferença do preço do produto em Guarapari e nas cidades vizinhas. “Tem municípios vizinhos em que o gás está sendo comercializado a R$ 40,00. Em outras cidades mais além é R$ 45,00. Então o que está errado? Será que lá o imposto é mais barato, ali pertinho da gente, ou será que aqui as pessoas não estão comercializando da maneira que deveriam? O que a gente quer é uma transparência. Será que lá eles estão pagando os impostos certinhos? Não sei, a gente só quer uma resposta”.

O vereador Thiago Paterlini foi o único a votar contra a criação da comissão e justificou seu voto dizendo que não é função da Câmara investigar empresas privadas.

Cartel. Quando questionado sobre o uso do termo “Cartel” no requerimento, o vereador explicou que “talvez eu tenha usado a palavra errada, mas é igual ao que eu expliquei às vezes um fornecedor compra da indústria e repassa para os demais e eles tem que vender naquele preço para ganhar aquele “x” valor. Isso talvez nem se denomina cartel. Muitos vendedores de gás são meus amigos e o entendimento que a gente quer chegar é porque o valor do gás hoje, R$ 65,00 é muito caro. Aí vem a energia, vem a água e o que sobra do salário mínimo? Então talvez a palavra não seja essa, mas está se mostrando que está sendo combinado o preço do gás e todos estão vendendo mais ou menos por R$ 65,00 e tem que haver um entendimento”.



Contra. O vereador Thiago Paterlini foi o único a votar contra a criação da comissão e justificou seu voto dizendo que “entendo que o parlamento não tem competência de legislar sobre empresa privada. Cabe ao parlamento dar ciência ao Ministério Público através da assinatura de todos os vereadores, e estou disposto a assinar, a Polícia Civil, a Agência Nacional do Petróleo e os órgãos que tem competência de fato para fiscalizar o gás. Os postos de gasolina, que foi feito já uma comissão de investigação e o preço da gasolina hoje é quase R$ 4,00 e em Vitória é R$ 3,33, ou seja, a comissão não rendeu em nada”, afirmou.

Em Piúma, o gás é é encontrado em valores de 40 reais. Em Guarapari os preços chegam até a 70 reais., quase o dobro. Foto: Portal 27

O parlamentar disse ainda que a função dos vereadores é fiscalizar a prefeitura e não empresas privadas. “Esse parlamento precisa avaliar onde colocar energia, nós temos várias comissões para abrir aqui a respeito do poder executivo. Por exemplo, o almoxarifado, que foi vendido para o Casagrande e até hoje não deu em nada. Temos o terreno, mas a sede da prefeitura até hoje não saiu do papel. Enfim, tem várias coisas como a falta de medicamentos e médico na UPA. Acho que é esse o papel do parlamento, fiscalizar o executivo e não a empresa privada. Esse é o meu entendimento e por isso, votei o contrário”, explicou.

Institucional Karla
Institucional MAllagutti
Institucional M Conveniências [banner top]

Vest 2017
Institucional Flex Motors [banner final]
Doctum Matricula R$ 90,00


7 Comentários

  1. O vereador que votou contra é que está certo, pois a função dele não é fiscalizar e sim legislar, ou seja fazer as leis para o prefeito seguir, ele tem que fiscalizar o executivo, coisa que não é feita com muita qualidade, pois desde janeiro que não temos remédios básicos nos postos de saúde, e até agora ninguém resolveu nada, se eles não conseguem nem resolver o que seria de sua obrigação, imagine ficar desviando suas funções.

  2. Muito bom! Parabéns a Câmara, afinal, isso, realmente, faz parte das funções do legislativo!!!! Mais uma ação eleitoreira sem nenhuma eficácia!

  3. Esse vereador que foi contra a CPI , é pelo simples fato de ser um dos donos de depósito de gás no bairro – Nossa Senhora da Conceição .

DEIXE UMA RESPOSTA