Vereadores rejeitam a criação de uma Comissão Especial de Investigação para apurar as obras da prefeitura de Guarapari. De autoria do vereador Dito Xaréu (PTB), foi colocado em pauta na sessão de quinta feira (15), o requerimento que instituiria uma comissão para apurar possíveis irregularidades na aplicação dos recursos públicos. Especialmente na realização de obras públicas feitas pela Administração Municipal, pelo período regimental de 180 dias.

Dito
Vereador Dito não ficou satisfeito com a não aprovação de seu requerimento. Foto Roberta Bourguingnon.

Por 8 votos a 4, os vereadores vetaram o projeto. Votaram a favor, a vereadora Paulina Pinna (PP), Germano Borges (PSB), Jorge Ramos (PMDB) e o autor Dito Xaréu. Não estiveram presentes, o vereado Jorge Figueiredo (PP) que está afastado por motivos pessoais e Anselmo Bigossi (PTB) que chegou atrasado, entretanto justificou o atraso e disse que se estivesse presente também votaria contra. Por fim, o presidente da casa de leis, Wanderlei Astori (PDT) não pode votar nessas situações.

Vereador Dito fala sobre a rejeição do requerimento de sua autoria

Entenda as Comissões

A Comissão Especial de Investigação é criada quando há dúvidas a respeito de algo que pode estar errado, mas não é possível materializar, ou seja, ter provas. Essa comissão é instituída para o grupo de vereadores formados, obterem acesso aos documentos da prefeitura.

Havendo a materialidade dos fatos, a subscrita comissão pede a conversão para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que afasta o prefeito pela irregularidade por 180 dias. Essa abdução é necessária para a investigação concreta dos fatos, no qual o prefeito também tem o direito de defesa.

Mas, de acordo com os especialistas, o afastamento de um prefeito é um atraso para a cidade. Constituindo em uma paralisação também no crescimento do município, uma vez que todas as decisões são adiadas.  Atualmente, existem Comissões Especiais de Investigação para apurar as mortes na saúde, apurar os cartéis dos postos de gasolina e, apurar a violência no município.

Deixe seu comentário