Os últimos acontecimentos na cidade de Guarapari mostram que ela não é mais terra de ninguém. Se antes tudo podia, com desmandos, desordem, falta de respeito às leis,  entre outras coisas,  agora a situação parece mudar.

As mortes dos bebês no hospital São Judas Tadeu e posteriormente a manifestação dos pais, com cartazes e pedindo justiça, mostrou que a sociedade quando quer, reage e promove mudanças.

Esses pais, gente humilde, simples, só queriam o direito de ter os filhos nos braços. Eles  sensibilizaram a sociedade, a mídia capixaba e consequentemente o governo estadual e federal.

Sendo assim, uma coisa que ninguém imaginava que poderia acontecer, aconteceu. Um hospital da cidade está fechado por determinação das autoridades competentes.

E isso só é realidade por que os pais dos bebês mortos reuniram forças para protestar e pedir justiça. De acordo com as informações divulgadas, foram 11 mortes em menos de seis meses. Um verdadeiro absurdo.

Uma cidade que faz parte da região metropolitana, de um estado tão importante como o sudeste, não pode aceitar um descaso tão grande na saúde pública. Uma cidade que se diz “turística” não pode aceitar que a sua saúde esteja tão abandonada.

A sociedade de Guarapari mostrou estar verdadeiramente unida
A sociedade de Guarapari mostrou estar verdadeiramente unida

Mas a culpa é de quem? De todos nós. Antes de procurar culpados, vamos assumir que todos nós temos culpa. Se o nível da saúde de nossa cidade chegou aonde chegou, em estado de calamidade, é porque nós não reclamamos. Ou não reclamamos a tempo.

As nossas autoridades, poder executivo, legislativo e judiciário também não fizeram a sua parte.  Se fossem mais rigorosos, mais incisivos nas cobranças e fiscalização da nossa saúde, não estaríamos vivendo este pesadelo.

Não adianta jogar a culpa no último gestor. Edson Magalhães fez o seu trabalho na saúde, que sem dúvidas foi melhor do que os outros prefeitos.

Sabemos que faltou muita coisa. Agora cabe ao prefeito eleito dar as respostas que a sociedade precisa. O Estado e a Câmara Municipal, não podem se ausentar. A Câmara inclusive reagiu tardiamente, propondo uma CPI da saúde, quando o assunto já estava sendo debatido há muito tempo pela sociedade.

A Câmara e o prefeito eleito precisam estar atentos, pois hoje o cidadão de Guarapari está unido. E, se como diz o ditado, se “a união faz a força”, a sociedade de Guarapari mostrou estar verdadeiramente unida, reagiu e pode ser uma força que poder político nenhum pode subestimar, ou derrotar.

Deixe seu comentário