No ultimo dia 11 de março, o vereador Geovane Santos (PSD) acompanhado do Deputado Federal Paulo Foletto realizou audiência no SPU-ES (Superintendência Patrimônio União no Estado do Espírito Santo) com o Superintende Magno Pires e sua equipe para discutir as técnicas e a legislação a ser aplicada para implantação de um circuito ecológico ligando as praias do balneário de Iriri, no município de Anchieta.

Na ocasião, o vereador Geovane (PSD) apresentou aos técnicos do SPU a ideia de criar um circuito ecológico pelas pedras ligando as praias da Santa Helena, Praia dos Namorados, Praia da Costa Azul e Praia da Areia Preta, criando um circuito de caminhada ecológico no balneário de Iriri- Anchieta.

Audiência aconteceu na Superintendência Patrimônio União no Estado do Espírito Santo. Foto: Divulgação.
Audiência aconteceu na Superintendência Patrimônio União no Estado do Espírito Santo. Foto: Divulgação.

A ideia é utilizar o ambiente natural e construir deques de madeira nos trechos mais inclinados, proporcionando um circuito de caminhada pelas pedras entre as praias do balneário. Para o SPU o projeto é louvável e possível desde que respeite as normas ambientais, por isso, o próximo passo será consultar o IEMA (Instituo Estadual de Meio Ambiente) sobre as normas ambientais a serem utilizadas e respeitadas na implantação do projeto.

“O Projeto Circuito Ecológico nas Praias de Iriri vem de encontro com o projeto de Urbanização das Orlas. Este projeto é inovador e sem dúvida vai proporcionar o desenvolvimento do turismo local, fortalecendo ainda mais esse segmento na geração de renda e emprego” diz o Deputado Federal Paulo Foletto.

Para o vereador Geovane Santos (PSD) esse projeto é extremamente importante para alavancar o turismo do balneário: “é necessário criar ferramentas para fomentar ainda nosso turismo, divulgar nossas praias e oferecer mais atrações àqueles que frequentam nosso balneário”, diz o vereador.

Com o projeto será possível desenvolver Oficinas de Educação Ambiental para crianças e jovens das comunidades do entorno e público em geral; Propostas de políticas públicas e incentivos de apoio à conservação; fortalecimento e ampliação das unidades de conservação; comunicação, informações, mobilização e educação ambiental aos turistas; e fomento à pesquisa para suporte às iniciativas de conservação do circuito ecológico. A promoção de educação ambiental, bem como a conscientização da sociedade para a preservação do meio ambiente, é um dever do poder público estabelecido pela Constituição Federal do Brasil.

Com informações da Assessoria do verador Giovane.