No evento realizado na última sexta feira (27), para anunciar um dos maiores investimentos em turismo do Estado, que vai ser feito na cidade de Guarapari, (confira aqui) o governador Casagrande (PSB) – visivelmente abatido após a morte do pai – falou sobre o investimento, lembrou outras obras que fez na cidade, citou as dificuldades que enfrentou no governo, como perdas do  Fundap,  disputa pelos Royalties de petróleo,  mas não se furtou a tocar no assunto política.

Casa
“pessoas que em vez de estar nos ajudando, estão com uma ambição desmedida”

Em seu discurso, ele criticou a antecipação do processo eleitoral dizendo que vê “Pessoas que em vez de estar nos ajudando, estão com uma ambição desmedida, para poder tentar buscar projetos pessoais, ao invés de trabalhar num projeto coletivo”, afirmou em um claro recado ao ex-governador Paulo Hartung (PMDB), que será seu adversário direto nestas eleições.

Casagrande afirmou que infelizmente esse é o mundo que se vive.  “É o mundo que todos nós estamos vivendo, mas que eu peço todos os dias a Deus que me capacite para poder ter ânimo, força e energia para continuar conduzindo o Estado, para ultrapassarmos a tempestade que a gente está ultrapassando”, afirmou.

Em outra critica velada ao ex-governador Hartung, Casagrande disse que quando assumiu o governo, percebeu que não existiam grandes investimentos sociais. “Eu assumi o governo com um passivo muito grande na área social. Um estado Rico, mas com muita gente necessitada. Faltava um governante que pudesse olhar para a área social”, explicou.

Veja parte do vídeo onde o governador critica a ambição  dos adversários.

Após o seu discurso, o portal 27 conversou rapidamente com o governador sobre as eleições.  Confira a entrevista.

“O meu projeto é coletivo”

O senhor disse que o outro projeto é  de ambição. E o seu projeto, qual é?

Casa2
“Peço todos os dias a Deus que me capacite para poder ter ânimo, força e energia para continuar conduzindo o Estado”

O meu projeto é um projeto coletivo, que está executando os maiores investimentos da história. Que está com muita parceria e humildade enfrentando desafios enormes que a gente tem hoje no Estado do Espírito Santo e que estará, de forma também coletiva, à disposição para avaliação da população capixaba. Quando você tem ambições pessoais somente; o que é natural, mas tem somente ambição pessoal, que busca chegar ao poder pelo poder, isso certamente não contribuirá com aquilo que nós precisamos no Estado, que é de uma união forte de lideranças, de partidos, de entidades e da sociedade para que o Estado se coloque nacionalmente e internacionalmente, como um Estado conhecido, reconhecido e competitivo.

O senhor falou do falecimento do seu pai que ocorreu esta semana. O senhor busca forças nesta perda para encarar esta eleição que não é fácil?

A morte do meu pai neste momento me deixa muita saudade.  A saudade e o exemplo que ele deixou, certamente sempre me deu muita força e vai continuar me dando forças. Lógico que agora a força que ele me dá, mas também uma saudade tremenda, um vazio grande que a gente tem e que eu tenho como filho. Mas ele sempre me orientou muito e vai continuar com certeza, com seu exemplo,  me orientando.

O PSDB anunciou hoje (27) o apoio ao o ex-governador Paulo Hartung (PMDB). O senhor acha que isso vai comprometer as suas alianças?

Não, nós temos uma aliança grande com mais de 15 partidos, nós tempos uma forte composição, que com toda certeza, vai se apresentar agora no inicio de julho para a sociedade, sustentando aquilo que eu estou fazendo e apontando aquilo que a gente pode fazer nos próximos quatro anos.