No primeiro dia de distribuição de água feito pela Samarco em Colatina, na quinta-feira (19), houve tumulto. Moradores do bairro Santos Dumont ignoraram a ação de funcionários da empresa e subiram em cima do caminhão, pegando mais litros do que outros, segundo relatos de populares.
No primeiro dia de distribuição de água feito pela Samarco em Colatina, na quinta-feira (19), houve tumulto. Moradores do bairro Santos Dumont ignoraram a ação de funcionários da empresa e subiram em cima do caminhão, pegando mais litros do que outros, segundo relatos de populares.

Uma equipe de corredores composta por 27 pessoas saíram na madrugada do último Domingo (22), e foram para Colatina, na região noroeste do Espírito Santo, participar de uma corrida de rua. Comovidos pela situação da falta de abastecimento de água na cidade, eles levaram cerca de 100 litros de água para serem distribuídos aos moradores.

O abastecimento de água na cidade foi suspenso à meia-noite de quarta-feira (18), por conta da aproximação da enxurrada de lama vinda de Mariana, em Minas Gerais, onde no início deste mês, duas barreiras de rejeitos de minério se romperam no distrito de Bento Rodrigues. Depois de cinco dias, a captação de água no município voltou, mas os moradores estão com medo de utilizar a água para consumo.

+ Barragem da Samarco se rompe e enxurrada destrói casas em Minas
+ Samarco vai paralisar operações e Ministério Público abre inquérito civil
+ Guarapari pode sofrer impacto de R$ 12 milhões com paralisação da Samarco

Desde o rompimento da barragem três municípios capixabas foram atingidos: Linhares, Baixo Guandu e Colatina, que tinha o rio como única fonte de captação e havia suspendido o uso da água. Foto: Vinícius Rangel
Desde o rompimento da barragem três municípios capixabas foram atingidos: Linhares, Baixo Guandu e Colatina, que tinha o rio como única fonte de captação e havia suspendido o uso da água. Foto: Vinícius Rangel

Segundo nota divulgada pela prefeitura da Colatina, análises realizadas na água apontaram resultado positivo para tratamento e consumo. Com isso, o Serviço Colatinense de Meio Ambiente e Saneamento Ambiental (SANEAR) retomou a captação e tratamento de água do rio Doce às 22h30 de domingo (22).

Um dos responsáveis pela equipe Herbalife Running, João Cláudio Castro, 30 anos, disse que a experiência de vivenciar de perto o estado em que o Rio Doce se encontra, coberto de lama e consequentemente, a falta de água na cidade, foi desesperador. Ele espera que a empresa e a justiça encontre alguma solução para o problema.

“Acompanhado do nosso grupo de corrida de Guarapari, vivenciamos de perto o drama que os moradores Colatinenses estão passando com o Rio Doce em lama e consequentemente a falta de água que eles estão passando. Muito triste ver o Rio Doce nessas condições, esperamos que os responsáveis sejam duramente punidos e que encontre alguma solução para reparar os danos causados” disse João.

A equipe "Herbalife Running" foi um dos maiores grupos organizados na corrida e trouxeram nove troféus para casa.
A equipe “Herbalife Running” foi um dos maiores grupos organizados na corrida e trouxeram nove troféus para casa.

Os competidores solidários, ainda trouxeram para casa 27 medalhes e nove troféus. A equipe se reúne para treinos todas às segundas e quartas, às 20h, no início da Praia do Morro.