Banner TOP
JB Padrão
Ribero e Padua

Ações como a de Amanda Trancoso, 13 anos, mostram que, mesmo com tanta violência, preconceito, atos de covardia, ainda há pessoas que se importam com o próximo. A adolescente, moradora do bairro Ipiranga, resolveu cortar o cabelo para ajudar crianças com câncer. 

A iniciativa. De acordo com Gláucia Trancoso, mãe de Amanda, o ato é muito significativo, pois a iniciativa de doar foi de sua filha. “O mundo em que a gente vive hoje é muito carente de amor, de carinho, cheio de violência, foi um ato grandioso para mim e para o pai dela”, afirmou. 

Confira o antes e o depois de Amanda

Quando a filha disse que iria cortar o cabelo, Gláucia achou, a princípio, que seria para vender e inclusive enumerou motivos para que a adolescente esperasse mais, pois ela faz Jazz, balé e é agenciada como modelo, mas mesmo assim ela quis cortar. “Quando falei com o pai dela que ela foi cortar o cabelo, ele ficou nervoso. Daqui a pouco chega ela com o cabelo já cortado, dizendo que ele seria doado para as crianças com câncer. Foi um ato que a gente não esperava. Amanda tem um coração muito grande, nosso espanto foi de saber que ela estava preparada para aquilo”, afirmou. 

Segundo Gláucia, não sabiam onde doar o cabelo e por intermédio de uma empresa de comunicação, acabaram entregando a um grupo que faz ações em hospitais. “Ensino muito minha filha a respeitar o próximo, o idoso, a criança, os animais que são criaturas que sentem tudo o que sentimos, só não falam”, finalizou. 

Mãe e filha fazem doação para hospital que trata pessoas com câncer

Um caso semelhante ao de Amanda aconteceu também em Guarapari. Riviany de Assis Bicalho juntamente com sua filha de apenas 7 anos Rosaliz de Assis Bicalho tomaram a decisão de cortar suas longas madeixas e doar. 

Na ocasião, Riviany fez questão de levar Rosaliz ao hospital para que ela conhecesse um projeto. “Uma enfermeira conversou com ela e deu uma palestra, já que ela não podia entrar para conhecer os pacientes”, afirmou.

Para Riviany, doar é um ato de amor. “Eu como mãe, vendo minha filha com aquele cabelo tão bonito e grande, comecei a mostrar para ela que poderíamos ajudar outras pessoas com o corte do cabelo dela. Como ela aceitou cortar o cabelo e doar, eu como mãe quis cortar o meu também para mostrar que nós podemos ajudar o próximo sem muitos sacrifícios. Cabelo cresce”, afirmou a mãe. 

Rosaliz ficou muito empolgada com a possibilidade de ajudar o próximo. “Eu estaria fazendo bem, porque tem muita gente sofrendo com câncer, perde os cabelos, eu mesma cortando, falo para as minhas amigas e até elas podem pedir para as mães para cortar. Fica bonito e o cabelo cresce de novo. Depois que eu cortar ele vai crescer e eu posso doar mais uma vez”, finalizou. 

Antes e depois de Riviany e Rosaliz

Um local para doar. De acordo com Riviany, a Afecc continua recebendo doações de cabelo! “A mecha precisa ter, no mínimo, 20 centímetros de comprimento e estar seca e presa em um elástico”. As doações devem ser deixadas no setor de Voluntariado da Afecc – Hospital Santa Rita de Cássia, no horário das 8h30min às 16 horas. Caso não tenha como ir pessoalmente, pode enviar pelos correios. O endereço é Av. Marechal Campos, 1579, Santa Cecília, Vitória-ES. CEP 29.043-260.

Ideally
Camara Municipal de Guarapari – Participe

Banner Marcelo
Institucional MAllagutti

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here