JB Padrão
Banner TOP
Ribero e Padua

No dia 10 de abril, o Portal 27 postou uma matéria sobre a ida do atleta paraolímpico Breno Braga da Costa a Curitiba, onde representaria nossa cidade no Circuito Loterias Caixa. Hoje temos muitos motivos para comemorar, porque a competição resultou em 91 medalhas para nosso estado, sendo 66 no atletismo e 25 na natação.

Breno faz parte disso, o menino de apenas 14 anos voltou para Guarapari com a medalha de Prata nos 200 Medley. Para ele, que encontrou na natação uma grande motivação, essa vitória foi muito importante: “a emoção foi forte, porque eu não esperava que ia ganhar a medalha de prata no Medley”, afirmou.

Breno Braga conquistou a medalha de prata na natação

Outro atleta de Guarapari também teve participação no quadro de medalhas. O paratleta Renato Madeira é amputado de uma perna e conquistou o bronze no lançamento de dardo, categoria F57 masculino. Para ele, a conquista é importante porque “é um começo de temporada e você começar sendo contemplado com uma medalha em uma prova em que você é forte, é recompensante, uma resposta pelo pouco trabalho que foi feito, mas já surte efeito para o atleta”, afirmou.

Renato está no top 10 de sua categoria, entre quase 52 atletas e tem planos para o futuro. “Vou para o paraolímpico universitário que dá índice para a segunda fase do nacional e para o brasileiro, a intenção agora é trabalhar duro e se houver algum torneio no entremeio a gente participa para verificar o desempenho. Meus grandes motivadores são meus filhos, quando eu os vejo felizes dizendo que “papai ganhou uma medalha”, é gratificante. Que isso sirva para animá-los para o esporte e para aqueles deficientes que pensam em ficar em casa, é importante que eles saibam que o esporte é bom, é gratificante, e pode leva-los onde jamais pensaram chegar”, afirmou o atleta.

Renato Madeira conquistou o bronze no lançamento de dardos

Anchieta também fez bonito na participação do Circuito Loterias Caixa. Um paratleta da cidade ganhou três medalhas. Edson Júnior, que é cego total, conquistou o 2° lugar nos 200 metros, 2° lugar nos 1.500 metros, 3° lugar nos 800 metros, trazendo para o estado duas medalhas de prata e uma de bronze. Juntamente com ele, seu professor, que o guiou durante os percursos, também ganhou as medalhas. Para Edson é uma grande alegria ser reconhecido. “Consegui três medalhas, apesar de não ter treinador. Com a ajuda do Eduardo eu consegui. Pra mim é uma alegria competir, treinar, fazer esporte”, afirmou. Edson lamenta que seu antigo treinador só tem horário à noite para auxiliá-lo e, segundo informações, Anchieta não dispõe de motorista para trazê-lo nesse horário até Guarapari, onde treinava com Luiz. 

Luiz Eduardo Oliveira Neves auxilia o Edson Júnior e é treinador de um outro atleta que nesse ano não trouxe medalha, mas Vanderly de Athaides Loyola, que também é de Anchieta, tem feito bonito Brasil afora. Segundo Luiz, o atleta ficou em 5º lugar nesse ano, pois sentiu muitas dores, dois anos seguidos que ele ganha o dardo”, Vanderly ficou também em 8º no arremesso de peso, afirmou o treinador que lamenta o pouco patrocínio recebido por seu atleta: “ele sentiu muitas dores na coluna, em função das 26 horas de viagem de ônibus de Vitória a Curitiba”.

Luiz Eduardo e Vanderly entrando na prova em Curitiba. O atleta é bicampeão do Regional Rio Sul no Lançamento de Dardo

Luiz se sente realizado trabalhando com atletas paralímpicos. “É muito importante para mim trabalhar com estes atletas, vendo cada um superar seus limites. Com isso resolvi me capacitar e hoje sou treinador paralímpico Nível II de Atletismo, certificado pelo CPB (comitê paralímpico Brasileiro). Quem trabalha com o paradesporto consegue ver a evolução deles como atleta e como pessoa, muitos chegam tristes, até depressivos, e o esporte acaba sendo uma forma de tentarmos reintegrá-los, se sentirem importantes para a sociedade”, afirmou o treinador.

Transporte. “Na equipe capixaba, alguns atletas que possuem bolsa conseguiram ir de avião, quem não possui bolsa, que não tem apoio do governo e prefeitura, foi de ônibus. As 11 entidades conseguiram o ônibus para ir para Curitiba, 26 horas de Viagem. O ônibus foi dado aos atletas pelo IFES PIÚMA através de parceria com IFES CAMPUS Vitória”, finalizou Luiz.

Ideally
Camara Municipal de Guarapari – Participe

Institucional MAllagutti
Banner Marcelo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here