As medidas foram anunciadas nesta segunda-feira (11) pela própria empresa, e vão de acordo com a filosofia do novo presidente do Banco do Brasil (BB), André Brandão, executivo que antes trabalhava no HSBC. A economia ao longo dos anos poderá chegar em R$2,7 bilhões.

Ainda segundo a empresa, as decisões já estavam sendo organizadas com o Ministério da Economia desde 2019, e queriam fortalecer os meios digitais enquanto enxugam os meios físicos, que custam mais, porém, com a covid-19, o atendimento nos guichês caiu cerca de 42% e o uso dos meios digitais dobrou, isso acelerou a tomada das medidas.

A expectativa é que com as medidas, o Banco do Brasil consiga economizar até R$2,7 bilhões. Foto: Shutterstock/Eliseu Geisler

Segundo os dados divulgados pelo Banco do Brasil, o meio digital corresponde a 86% das transações que são feitas pelos clientes da empresa e a tendência é que este percentual aumente, ainda de acordo com o BB, por dia, chegam a ser somados 600 mil atendimentos online, e o aplicativo já conta com quase 20 milhões de usuários.

A quantidade de usuários do aplicativo da empresa já chega em cerca de 20 milhões. Foto: Banco de imagens

Ao todo, serão afetadas 870 unidades do banco, além das 361 que serão fechadas, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 postos de atendimento, outras 243 agências terão a função reduzida, sendo transformadas em postos de atendimento, unidades que não possuem gerentes.

Além disso, 145 unidades de negócio serão transformadas em lojas, possuindo terminais, mas sem guichês de caixa. Aproveitando o espaço, o Banco do Brasil irá criar 28 unidades especializadas, sendo 14 para o agronegócio e 14 escritórios para clientes de plataformas digitais.

O banco também irá começar a utilizar dois programas de desligamento voluntário, sendo eles o Programa de Adequação de Quadros, onde os funcionários serão redistribuídos, e o Programa de Desligamento Extraordinário, disponível para funcionários que atendam os requisitos. Estima-se que cerca de 5 mil trabalhadores adiram ao programa.

Todas essas mudanças estão previstas para ocorrer no dia 22 de fevereiro e é especulada uma economia de cerca de R$2,7 bilhões até 2025. Os clientes que tiverem a agência fechada serão automaticamente transferidos para outra, sem precisar realizar qualquer cadastro ou atividade.

Deixe seu comentário