O ambiente escolar foi criado para ensinar os estudantes não apenas matérias como Português e Matemática, mas também para formar cidadãos e ensiná-los a lutar por seus direitos. É exatamente isso que uma aluna do 3º ano da Escola Estadual Leandro Escobar, localizada no bairro Perocão, vem fazendo. A escola precisa de uma reforma com urgência e ela decidiu denunciar a falta de infraestrutura da instituição.

As carteiras são posicionadas em duplas na sala de aula porque não há espaço suficiente para todos os alunos. FOTO: Whatsapp.

A jovem, que pediu para não ser identificada, é aluna da escola desde o 1º ano  e  relatou que o problema começa nas salas de aula que não possuem espaço para todos os alunos.  “As salas de aula são muito apertadas. As mesas e cadeiras estão a maioria quebradas e nós sentamos em dupla para poder caber todos dentro da sala. Os professores têm grande dificuldade quando passa atividades avaliativas por sentarmos muito próximos. Não tem condições nenhuma dessa escola estar funcionando e mesmo assim continua”.

Segundo a jovem, as salas são quentes e os ventiladores que existem são velhos e barulhentos. “Tem alguns ventiladores sim, mas ventar que é bom nada. Os ventiladores que tem são muito antigos, só fazem barulho e podem cair a qualquer momento na cabeça de algum aluno. Já até pensamos na possibilidade de levarmos ventiladores de casa para não passarmos mais por isso”.

Outro problema relatado pela estudante é bem grave, a falta de biblioteca e sala de informática em uma escola da rede estadual de ensino em pleno século 21. “Biblioteca e sala de informática lá não existe. Eles falam que não tem espaço”.

A falta de espaço também é sentida pelos estudantes na hora do recreio. “No refeitório a gente tem que esperar o outro colega acabar de merendar para a gente poder sentar porque não tem lugar para todos sentar. Muitas vezes até isso acontecer o recreio já acabou”.

Na hora do recreio alunos comem no chão ou esperam o colega terminar de comer para poder sentar porque não há espaço e mesas suficientes no refeitório.

E a aula de educação física que muitas vezes ajudam os estudantes a sair do sedentarismo e até mesmo a desenvolver atletas também passa por problemas porque a quadra da escola não é coberta. “Quando está chovendo nossa educação física é dentro da sala de aula e quando está muito sol o professor tem que inverter e dar a aula mais cedo para a gente não ficar em baixo do sol tão quente”.

De acordo com a estudante, os banheiros também não são suficientes para atender os alunos, pois são apertados e apenas dois funcionam. Ela afirmou ainda que os estudantes fazem reclamações diversas vezes com a diretora, mas ela não pode fazer muita coisa para resolver o problema. “Já reclamamos com a diretora e ela fala que tenta conversar com o pessoal do Estado e eles falam que a nossa escola não está com necessidade e ainda dá para estudar assim”.

Mesmo com toda essa dificuldade a aluna já está no 3º ano, mas deixou escapar que se sente desmotivada a ir para escola. “Não sinto nem vontade de estudar porque a falta de condições melhores tira a vontade da gente ir para escola. O Estado não olha para a gente”, desabafou a jovem.

A quadra não é coberta e em dias de chuva a aula de educação física acontece dentro da sala. Em dias de sol muito forte a aula precisa ter o horário remanejado.

O PORTAL 27 procurou a Secretaria Estadual de Educação (SEDU) para saber porque a escola não possui biblioteca nem sala de informática e também se existe previsão de quando a escola vai passar por reformas, mas até o fechamento dessa matéria nenhuma resposta foi enviada.

ATUALIZAÇÃO ÀS 18H33: A Secretaria de Estado da Educação (Sedu) informou que uma equipe de engenharia irá realizar uma visita à Escola Estadual Leandro Escobar para verificar as demandas que podem ser atendidas rapidamente. Informou , ainda, que melhorias como consertos de ventiladores, devem ser feitas pela direção da escola por meio do Programa Estadual Dinheiro Direto na Escola (PEDDE).

Deixe seu comentário