O movimento #FicaFred, organizado pelos alunos, professores e funcionários da escola estadual de ensino médio, Dr. Silva Mello, ganhou ainda mais força na tarde de ontem, quando foi realizada uma reunião que contou com pessoas de diversos setores. Estava presente também o ex-subsecretário estadual de turismo Gedson Merizio, que veio dar apoio ao movimento.

A reunião contou com representantes de diversos setores da comunidade e do governo.

Durante a reunião, participaram membros de setores de professores, alunos, conselho estudantil, administração, secretaria e governo estadual, pedindo pela volta do diretor da escola, Frederico André Gonçalves Feital, popularmente chamado de Fred. Segundo os participantes da reunião, o diretor foi demitido sem nenhuma explicação ou motivo para a sociedade, mesmo com a garantia por lei de que o conselho escolar receba explicações.

Uma das participantes que pedia pelo retorno do direto foi a aluna Tais Lourenço, de 17 anos e que atualmente cursa o 3º ano do ensino médio na escola. Tais destacou que, além de ser um ótimo profissional, Fred também se preocupa com a situação dos alunos, declarado como “incentivador da vida humana”.

A estudante do 3º ano do ensino médio, Tais, que pede para que o governo reconsidere e deixe Fred como diretor.

“A gente está aqui para lutar pelo nosso direito como jovens protagonistas, para pedir que nosso diretor fique. Ele faz um excelente trabalho, não só aqui, mas desde a antiga escola, ele vem fazendo um ótimo trabalho, ele é um incentivador da educação e também da vida humana. Ele é tão sensível que ele sabe como conversar com os alunos, ele é um incentivador da leitura inclusive, é excelente no que faz, é um erro o tirar daqui, é uma perda imensa pra escola, por isso estamos aqui, fazendo nosso papel para que nosso diretor continue”, disse Tais.

Já Marilene Cardoso da Cruz Lima, professora de língua portuguesa e coordenadora da escola, também participou do movimento e pede para que o governo estadual devolva o cargo de diretor para Fred, que se mostrou, segundo ela, “um diretor atemporal”.

A professora e coordenadora Marilene, que também faz parte do movimento #FicaFred.

“Nós tomamos essa iniciativa após ver que ele foi dispensado do cargo de diretor sem motivo declarado, pegamos representantes de cada setor para endossar a questão #FicaFred. Fomos injustiçados, ele é um diretor atemporal, não é só mais um diretor, ele participa de tudo, sabe de tudo, está com todos sempre, ele repaginou nossa escola, por isso pedimos para o governo que nos atenda e deixe o Fred como diretor”, comentou Marilene.

Para tentar apelar ao governador, a reunião contou com a presença de Gedson Merizio, morador de Guarapari que estudou na escola Dr. Silva Mello e que trabalhava no governo estadual como subsecretário de turismo. Gedson declarou que, com ele, a escola tem mais um apoiador pelo movimento #FicaFred.

“A dor que vocês estão sentindo eu também sinto, o Fred é meu amigo, ter essa mudança gerou uma instabilidade em mim também, sou de Guarapari também. É importante dizer que não sou da Secretaria de Educação, eles têm a independência deles. Sempre defendi que educação e saúde precisam ter independência, não pode ter interferência política nesses setores, mas vamos assumir alguns compromissos”, falou Gedson.

Que finalizou. “Sairei daqui e encaminharei direto ao governador esta manifestação de vocês, esse movimento irá fortalecer ainda mais para que eu possa defender o Fred para o governador, vou encaminhar as assinaturas e irei pessoalmente levar o pedido de vocês para ele. Vocês têm um parceiro nessa defesa, se forem para a rua irei junto, se fizerem manifestação por hashtag estarei junto também. Tivemos muita luta para que essa escola pudesse estar aqui, essa obra ficou 10 anos parada, voltou agora com nosso governo. É importante nós termos a escola bela, porém mais importante que isso é ter o ser humano bem tratado, o governo dialoga, por isso estou aqui, estando aqui para conversar com vocês poderei estar indo conversar com o governador.”

Durante a reunião, Gedson afirmou que irá levar o documento para o Governador Renato Casagrande e que também é um defensor de que Fred continue no cargo.

O Portal 27 procurou a secretaria Estadual de Educação para saber sobre a situação do professor, mas até o momento do fechamento desta matéria não recebemos respostas.

Deixe seu comentário