Inspirado no personagem Gandalf, o mago do filme Senhor dos Anéis, o jovem Diego Gonçalves Pícoli, 24 anos mandou fazer uma fantasia, que no seu caso é uniforme e passou a trabalhar nas ruas de Guarapari vendendo trufas de chocolate. O que antes era uma renda extra, já virou sua principal fonte de sustento desde o mês de agosto.

Diego começou a vender trufas como renda extra e desde agosto passou a ter o negócio como sua fonte de renda principal. Foto: Rosimara Marinho

Diego contou que já tinha vontade de montar seu próprio negócio, enquanto trabalhava como auxiliar administrativo em um parque aquático. Ele passou a pesquisar na internet e viu que uma das alternativas era vender doces nas ruas e resolveu apostar no negócio.

“Eu pesquisei na internet, encontrei pessoas que ganhavam a vida vendendo doces na rua e decidi tentar. Como eu queria fazer algo diferente: além de fazer um produto de qualidade, eu queria que as pessoas notassem que o meu produto é bom”, contou o jovem empreendedor.

“Então eu pensei: vou tentar chamar a atenção de alguma forma. Pensei em vender fantasiado de Homem Aranha, Super-Homem… Só que, como no mercado já é comum que pessoas vendam dessa forma, eu pensei em fazer diferente. Como eu gosto bastante do filme ‘O Senhor dos Anéis’, eu me baseei no personagem Gandalf, que é um mago cinzento”, disse.

O jovem acrescentou ainda que nas férias de julho ele vendeu as trufas e ainda trabalhava no emprego fixo. “Percebi logo que se tornou uma fonte de renda muito maior do que a fixa normal, então pedi as contas do meu emprego e comecei a trabalhar só com isso.

O que antes era uma renda extra, já virou sua principal fonte de sustento desde o mês de agosto

Empreendedorismo. Desde agosto o jovem passou a trabalhar apenas com a venda de doces. Ele contou que além de fazer uma rota entre os bairros: Aeroporto, Muquiça e Centro e algumas vezes na Praia do Morro, ele recebe encomendas de bombons para festas de aniversário.

A meta do rapaz é aumentar suas vendas de bombons no verão e chegar a 200 bombons por dia.

“A cada dia eu faço uma rota diferente. Terça-feira, por exemplo, estou com a rota de Muquiçaba, quarta-feira, vou pro centro. Tem que andar bastante, e eu vou andando a pé mesmo”.

A trufa é vendida por R$3 e na compra de duas, sai por R$5.

Deixe seu comentário