“Não há vitória sem luta”. É com essa frase que a dona de casa e vendedora autônoma de Alfredo Chaves, Maria Madalena Nascimento, 51 anos, começou a contar sua história sobre a luta que vem enfrentando há sete anos contra o câncer.

Maria Madalena encara desde 2008, quando recebeu o diagnóstico de câncer de mama, uma batalha contra a doença, que se expandiu para outros órgãos. “Estou encarando o problema como qualquer outro problema. Temos que lutar e não desistir nunca”, disse.

Bem-humorada, a autônoma vende perfumes e outros produtos pela cidade. Segundo ela, o agravo não a impediu de fazer o que gosta e a trabalhar. “Tento levar uma vida normal, mesmo com as restrições”.

Foto: Secom PMAC
Foto: Secom PMAC

Madalena conta que suas forças para seguir em frente vêm da fé em Deus e do apoio da família e amigos. “Sem fé e apoio dos familiares e amigos não conseguimos caminhar. Quando temos um problema devemos pedir apoio, se abrir, isso faz com que as aflições sejam minimizadas.”

Ela explica ainda que a descoberta do câncer foi um susto, mas com o passar do tempo foi se acostumando ao tratamento e as lutas diárias. “É uma luta diária, viagens para hospital, consultas, exames, mas temos que seguir. Cabelo cai, mas nasce novamente”.

A dona de casa e mãe de dois filhos recomenda que as mulheres façam regularmente os exames e constantemente o autoexame. “Temos que ter cuidado com o nosso corpo, dar atenção aos sinais, se prevenir. O câncer descoberto o quanto antes tem mais chance de cura”, alerta.

Ela ainda finaliza dizendo: “Às vezes os problemas parecem difíceis, mas temos que lutar, nunca desistir”.