Raquel Lins é moradora de Perocão e desde que o Transcol foi implantado na cidade há cerca de dois anos, é no transporte da região metropolitana que ela embarca todos os dias para seguir para o trabalho em Vitória. Com o anúncio de que a linha 672 que atende os passageiros no ponto em Setiba seria retirada, a funcionária pública comissionada desabafa e pede a sensibilização do poder público para o caso.

Transcol Sul
A previsão é de que os ônibus do Transcol possam parar de embarcar os passageiros em Setiba em meados do mês de setembro. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“Peço que possam se sensibilizar com o que está acontecendo com a população de Guarapari que faz uso do Transcol. Desde que foi inaugurada a rodoviária estamos passando por momentos de ameaças no nosso trabalho. É grande o risco de perdermos os nossos empregos que com tanto sacrifício hoje temos. Mesmo com a crise que vivemos em nosso país, querem tirar de forma brutal e cruel o nosso meio de transporte mais barato, limitando assim o embarque e desembarque dos passageiros somente na rodoviária”.

A funcionária pública comissionada ressalta que “todos que trabalham fora do município não é por vontade própria, mas por uma necessidade. E por isso pedimos o apoio de toda população que entre nessa corrente para derrubar essa ação movida contra a própria população”.

Os ônibus do Transcol devem parar de pegar passageiros em 30 dias. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Ainda segundo Raquel, na época do contrato a prefeitura projetou a rodoviária e em nenhum momento pensou na população, apenas visou interesses próprios. O povo não pode arcar com projetos mau elaborados e de forma errônea trazendo danos para aqueles que precisam se locomover para outros municípios.

A moradora de Perocão ainda diz: “gostaríamos que mesmo que não façam o uso do Transcol, Alvorada, Planeta pudessem através das redes sociais se manifestarem sobre o que a população está passando. Não são somente os moradores de Guarapari, mais todos aqueles que fazem o uso do transporte público para a cidade têm enfrentado um grande dilema. Pela constituição temos o direito de ir e vir, e dessa maneira estão tirando o nosso direito de embarcar e desembarcar onde há pontos de ônibus disponíveis”.

Respostas. A Ceturb informou que em reunião com o Ministério Público de Guarapari, realizada no dia 16 de agosto, com a presença da Prefeitura Municipal de Guarapari, ficou acordado que, em 30 dias, a partir da data da reunião, Linha 672 (Trevo de Setiba / T. Itaparica) passará a fazer ponto final no bairro Village do Sol, que fica logo o pedágio da Rodosol.

Por conta do Decreto Municipal 406/2016, os ônibus não podem mais fazer embarque e desembarque em outro local que não seja a rodoviária de Guarapari. Nessa mesma reunião, a Ceturb-GV disse solicitou à Prefeitura de Guarapari que disponibilize uma linha municipal que saia do Centro da cidade e vá até Village do Sol.

A prefeitura de Guarapari informou que foi notificada pelo Ministério Público e é obrigada a cumprir uma cláusula de um contrato de 2011 que determina que os ônibus intermunicipais e interestaduais devem parar exclusivamente na rodoviária do município.

Deixe seu comentário

Comments are closed.