Juliana Pereira Sales Alves, mulher do pastor Georgeval Alves e mãe dos irmãos mortos carbonizados Joaquim Alves, de 3 anos, e Kauã Salles Butkovsky, de 6 anos, está novamente presa.

A justiça havia libertado ela no dia 8 de novembro, após pedido de revogação da prisão feito pela defesa de Juliana, durante audiência realizada no dia 23 de outubro, em Linhares, com base nos depoimentos e nas provas produzidas. A decisão foi proferida na quarta-feira (07), pelo juiz responsável pelo caso, André Bijos Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares.

Georgeval e Juliana foram acusados pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) de duplo homicídio, duplo estupro e fraude processual, por alterar a cena do crime

Mandado de prisão. Ela estava na cidade mineira de Teófilo Otoni após a Justiça aceitar recurso do Ministério Público do Espírito Santo, que contestou a liberdade de Juliana. O mandado de prisão contra ela foi cumprido na última quarta-feira (14) pela Polícia Civil de Minas Gerais.

Juliana foi encaminhada para o presídio em Teófilo Otoni na manhã de quinta-feira (15). O presídio fica em uma área rural, há cerca de 15 quilômetros da cidade e, assim como da última vez, ela está em cela individual. Ainda não há retorno sobre a transferência de Juliana para um presídio capixaba.

Comments are closed.