Crianças de um a menores de dois anos de idade (um ano, onze meses e 29 dias) começam a ser imunizadas, a partir desta segunda-feira (14) contra a hepatite A. O Ministério da Saúde incluiu a vacina no calendário infantil e enviou para o Espírito Santo asprimeiras 16.500 doses, que já foram distribuídas aos 78 municípios capixabas. Os pais ou responsáveis por crianças nesta faixa etáriapodem buscar a vacinação na unidade de saúde mais próxima de sua casa.

No Estado, a estimativa é de que neste primeiro ano sejam vacinadas 24.211 crianças nesta faixa etária. Como a vacinação passa aser de rotina na rede pública, o Estado receberá novas cotas mensais ao longo do ano.

Meta do Espírito Santo é vacinar 24 mil crianças contra Hepatite A
Meta do Espírito Santo é vacinar 24 mil crianças contra Hepatite A

A vacina é injetável, intramuscular na coxa e deverá ser aplicada em dose única, a princípio, já que mais de 90% das criançasapresentam anticorpos protetores após uma única dose da vacina. Mas o Programa Nacional de Imunização irá monitorar a situaçãoepidemiológica da hepatite A para avaliar a inclusão ou não, posteriormente, de uma segunda dose.

Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde, Danielle Grillo, a prevenção é amelhor forma de controle da doença e reforça que a inclusão da vacina contra a hepatite A no calendário de imunização infantil fazparte de um plano mais abrangente do Ministério da Saúde para prevenção e controle das hepatites virais.

Ela lembra que o Sistema Único de Saúde (SUS) já oferece vacina contra a hepatite B. Já para a hepatite A, até então, as doseseram disponibilizadas somente em clínicas particulares ou nos centros de referência para imunobiológicos especiais – no ES funcionano Hospital Infantil de Vitória. Nestes centros, a vacina é destinada a grupos específicos que tenham indicação (pessoas comdoenças do fígado, crianças com HIV/aids, transplantados, portadores de doença no sangue, entre outros).

Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que todos os anos 1,4 milhão de casos ocorrem no mundo todo. O Brasil éconsiderado área de risco para a doença porque pesquisas mostram que mais de 90% da população maior de 20 anos teve algumtipo de exposição ao vírus. No Espírito Santo, 42 pessoas foram notificadas com a doença no ano passado.

O vírus da hepatite A é encontrado principalmente nas fezes e no sangue de uma pessoa infectada
O vírus da hepatite A é encontrado principalmente nas fezes e no sangue de uma pessoa infectada

Danielle Grillo explica que a hepatite A é uma doença benigna na infância e a incidência mais frequente é em populações que vivemem más condições de saneamento básico. A gravidade da doença é dependente da idade. Em crianças menores de cinco anos ahepatite A é assintomática (80 a 95% permanecem assintomáticas), a infecção se resolve naturalmente. Já nos adultos, 70% a 95% das infecções resultam em doença clínica. Por isso, segundo ela, é importante criar grupos de crianças vacinadas na infânciapara proteção delas na idade adulta.

Saiba mais

– A hepatite A é uma doença infecciosa aguda, causada pelo vírus da hepatite A,
que produz inflamação e necrose do fígado.

– A forma de contágio da hepatite A é fecal-oral, por contato de pessoa a pessoa, ou por meio de água e alimentos contaminados.

– A hepatite A não tem tratamento específico. A recuperação dos sintomas, após a infecção, pode demorar várias semanas oumeses. A higiene das mãos ou na manipulação dos alimentos é a principal forma de prevenção.

Pode-se contrair hepatite A se:

– Comer ou beber água contaminada por fezes que contenham o vírus da hepatite A (frutas, verduras, frutos do mar, gelo e águasão fontes comuns do vírus da hepatite A)
– Mantiver contato com as fezes ou o sangue de uma pessoa que tenha hepatite A
– Uma pessoa contaminada não lavar as mãos adequadamente após ir ao banheiro e tocar outros objetos ou alimentos
– Participar de práticas sexuais que envolvam contato oral-anal

Deixe seu comentário