Devido ao avanço da cobertura vacinal, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) vem registrando queda nas notificações de casos suspeitos de febre amarela. Por isso, a recomendação é para que a pessoa que não tem restrição para se vacinar e ainda não foi imunizada procure uma unidade básica de saúde em seu município para receber a proteção. Todas as cidades capixabas têm vacina disponível.

Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) vem registrando queda nas notificações de casos suspeitos de febre amarela.

Para quem pretende se deslocar para áreas de floresta e ainda não foi vacinado, a orientação é que viaje somente em caso de extrema necessidade. Se a viagem for mesmo necessária, é recomendado o uso de repelente e roupas que protejam o corpo, como blusas de manga comprida, calças e também calçados que cubram bem os pés.

Uma pessoa com febre amarela apresenta, nos primeiros dias, sintomas parecidos com os de uma gripe. Entretanto, esta é uma doença grave, que pode complicar e levar à morte. Os sintomas mais comuns são febre nos primeiros sete dias e mal-estar. Diante de algum desses sintomas, a pessoa deve buscar atendimento médico.

Contraindicações

A vacinação contra febre amarela segue critérios recomendados pelo Programa Nacional de Imunizações. O Ministério da Saúde alerta que, nos casos de pacientes com imunodeficiência, a administração da vacina deve ser condicionada à avaliação médica de risco-benefício e deve ser analisada caso a caso nas situações de surto da doença.

Também devem buscar orientação profissional as pessoas que têm histórico de reação alérgica a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina e outros produtos com proteína bovina) e pacientes com histórico anterior de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, ausência de timo ou remoção cirúrgica).

A vacina é contraindicada para:

– Crianças menores de 6 meses de idade;

– Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza;

– Pacientes infectados pelo HIV com imunossupressão grave;

– Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores);

– Pacientes submetidos a transplante de órgãos;

– Pacientes com imunodeficiência primária;

– Pacientes com neoplasia;

– Indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina ou outras);

– Pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica);

Cobertura vacinal

De acordo com informações enviadas pelos municípios, até o momento, 2.596.368 pessoas foram imunizadas contra a febre amarela em todo o Estado, o que representa uma cobertura vacinal de 72,56% da população do Estado. Até o momento, foram distribuídas 3.332.030 doses para todo o Estado.