A crise econômica que afeta o Brasil continua levando os poderes públicos a pensarem em formas de economizar. Em Guarapari, a prefeitura tomou suas medidas, que já foram anunciadas aqui no Portal 27.

Oficio PEN
Sugestão do PEN é que haja redução no salário do próprio prefeito.

Agora, o Partido Ecológico Nacional (PEN) de Guarapari protocolou, através do ofício de nº 023/2015, uma solicitação ao prefeito municipal: que seja feito um estudo técnico visando adotar medidas que reduzam gastos públicos, mas sem haver prejuízo na prestação de serviços essenciais à população. Para tal, uma das sugestões do PEN é que haja redução no salário do próprio prefeito.

No documento consta o pedido de redução em 50% do subsídio do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e subgerentes. A ideia do partido é que o prefeito passe a receber R$ 6.600,00, metade do atual salário que é de R$ 13.200,00. E o vice-prefeito, o valor de R$ 3.600,00, ao invés de R$ 7.200,00.

Adjuntos. Buscando economizar ainda mais nos gastos, o PEN também sugere reduzir 30% do salário dos subsecretários e secretários adjuntos. De acordo com o partido, os subsídios pagos, somados aos encargos, geram um gasto mensal muito alto aos cofres públicos. Segundo a sigla, a medida, se colocada em prática, irá gerar economia nessa época de crise que atinge todo o país. ” A ideia é fazer com que a prefeitura também colabore com a economia do município, reduzindo os salários à metade. Já não demitiu muitos servidores e pensa em demitir ainda mais? Poderiam então devolver parte de seus salários e ajudar a cidade a sair da crise”, disse o presidente do partido, José Raimundo Dantas.

Orly
A ideia do partido é que o prefeito receba R$ 6.600,00, metade do atual salário. Foto: Wilcler Lopes/Portal27

Desse modo, a previsão, segundo o partido, é de que R$ 150.876,00 sejam economizados por mês com as reduções nos salários. E até o fim do ano, a economia totalizaria R$ 349.812,00. Uma economia bem maior que anunciada pelo prefeito, com as demissões.

O último reajuste salarial dos respectivos cargos públicos foi definido por Edson Magalhães, em 2012, passando a vigorar a partir de janeiro de 2013, no qual os subsídios passaram aos seguintes valores:

– Prefeito municipal: R$ 13.200,00 + encargos / Com redução de 50%: R$ 6.600,00 + encargos
– Vice-prefeito municipal: R$ 7.200,00 + encargos / Com redução de 50%: R$ 3.600,00 + encargos
– Secretários municipais e correlatos: R$ R$ 6.900,00 cada + encargos / Com redução de 50%: 3.450,00 cada + encargos
– Procurador geral do município: R$ 6.900,00 + encargos / Com redução de 50%: 3.450,00 + encargos
– Controlador geral do município: R$ 6.900,00 + encargos / Com redução de 50%: 3.450,00 + encargos
– Secretários adjuntos e correlatos: R$ 4.200,00 cada + encargos / Com redução de 50%: 2.940,00 cada + encargos

O partido espera ainda, que os vereadores também abrace a causa. “E a ideia é passar essa conta também para os vereadores. Se todos devolverem pelo menos a metade de seus salários até passar a crise, uma grande economia pode ser feita no município. Já que eles ainda possuem as verbas indenizatórias no valor de R$ 2.100,00, o que aumenta ainda mais os próprios salários no fim do mês”, concluiu Dantas. Os parlamentares recebem R$ 6.900,00 + R$ 2. 100,00, resultando em 9 mil reais. Se cada um devolvesse pelo menos R$ 3.400, geraria uma economia de 57.800 reais por mês, que poderia ser investido em outras áreas.

O ofício protocolado na tarde de terça-feira (13), segue agora para análise do prefeito Orly Gomes.

Deixe seu comentário