Depois que os ônibus intermunicipais foram proibidos de embarcar e desembarcar os passageiros nos pontos da cidade de Guarapari, alguns usuários do transporte se arriscam a sair pela janela para não precisar ir até à rodoviária pegar um coletivo municipal para voltar ao destino.

Há relatos de vários passageiros que já desceram dos ônibus pela janela. Anderson dos Santos Morange de 34 anos foi um desses. O morador de Vila Velha trabalha como supervisor de estoque de uma concessionária da cidade e diante da negativa do motorista em permitir que ele desembarcasse fora da rodoviária, Anderson acabou pulando pela janela enquanto o ônibus parava no semáforo.

Anderson dos Santos Morange
“Depois que passou em frente a empresa onde eu trabalho, o sinal fechou. Decidi pular a janela enquanto o motorista freava por conta do sinal vermelho.”, disse Anderson. Foto: Portal 27

“Depois que passou em frente a empresa onde eu trabalho, o sinal fechou. Decidi pular a janela enquanto o motorista freava por conta do sinal vermelho. Na hora, minha calça agarrou na janela, e acabei rasgando a calça. O motorista e o cobrador ficaram espantados. Se eu fosse até à rodoviária, me atrasaria para entrar no trabalho. Já era 8h05 na hora que passei em frente ao meu trabalho, sendo que eu entro às 8h. Calculei que eu gastaria pelo menos 40 minutos para chegar, fora o gasto com a passagem do coletivo municipal”, conta o supervisor de estoque.

Calça
Anderson ficou com a calça danificada. “É inviável vim de condução própria, já que o gasto é de 25 reais por dia.”

A ação aconteceu no sábado, primeiro dia vigente do decreto. Anderson disse não sabia da mudança. “Fui pego de surpresa. Não sabia que essa mudança começaria no sábado. Quando chegou em Setiba o motorista avisou que depois do ponto de Setiba, o desembarque seria somente na rodoviária e que eles estavam cumprindo uma determinação da empresa por conta do decreto que foi publicado pela prefeitura”.

Além da confusão do sábado, Anderson contou ainda que “na segunda não trabalhou por causa da manifestação e os ônibus não circularam. Na terça ele veio de moto. E se continuar essa manifestação não virei trabalhar novamente. É inviável vim de condução própria, já que o gasto é de 25 reais por dia. Precisamos reverter essa situação”.

Ação na Justiça. A Associação de Moradores do bairro Santa Mônica entrou com uma ação pública na Vara da Fazenda na tarde de ontem (09) pedindo a anulação do decreto que impede o embarque e desembarque dos passageiros do transporte intermunicipal nos pontos da cidade.

O decreto da prefeitura atende a uma cláusula do contrato com a empresa responsável pelo empreendimento. No termo de concessão assinado em 2011, já estava previsto que os passageiros embarcassem e desembarcassem apenas na nova rodoviária.

Comments are closed.