A greve dos caminhoneiros já completou dois dias em Guarapari e apesar dos transtornos causados como, por exemplo, a falta de combustíveis a população de modo geral tem apoiado a paralisação. Algumas pessoas chegam a levar doações de alimentos para os grevistas.

A paralisação dos caminhoneiros teve início na última terça-feira (22), em Guarapari, e não tem data para acabar. Foto: Cecília Rodrigues

Um caminhoneiro, que preferiu não ser identificado, ressaltou que o movimento ganhou força pela união da categoria e o apoio da população. “Com a força de todos estamos conseguindo mostrar a força que temos. A população também está consciente e a todo tempo aplaude, traz um café ou um pão então esse não é um movimento só dos caminhoneiros porque a própria população aderiu. Essa é uma causa justa e que atinge tanto o caminhoneiro como quem tem o carro pequeno”.

Outro caminhoneiro lembrou que todos que aderiram a paralisação estão fazendo sacrifícios. Segundo ele, muitos sofreram pressão dos patrões para entregar as cargas, mas também contaram com o apoio de outros empregadores. “A gente está recebendo doações de Alfredo Chaves e de tudo quanto é lugar. Isso tem nos ajudado a dar um suporte melhor e vamos ficar aqui até termos uma posição do governo”.

Carga de bananas sendo distribuída entre os caminhoneiros. Foto: Cecília Rodrigues

Para ele o preço ideal para a gasolina seria R$ 3,00.  “É difícil estipular um valor porque esse é um movimento que acontece no país inteiro, mas pelas contas que  a gente faz para eu conseguir abastecer e trabalhar o justo seria uns R$ 3,00 “.

Deixe seu comentário

Comments are closed.